Compartilhamentos

O senador Randolfe Rodrigues não é mais filiado ao PSOL. Neste fim semana, ele anunciou sua desfiliação do partido informando que vai integrar a Rede, partido criado pela ex-candidata à presidência da República, Marina Silva.

Em carta divulgada neste domingo, 27, pelas redes sociais, o senador reconhece a importância ética da legenda na luta pelos direitos coletivos e individuais, diz que deixou uma multidão de companheiros, mas queixa-se da falta de espaço.

“O ambiente político exige uma maior capacidade de articulação política. Exige amplitude, exige multiplicidade de relações, para que se construam organizações políticas capazes de atrair jovens, intelectuais, artistas, membros do movimento social, ativistas, militantes das redes sociais e todos aqueles que possam abraçar uma agenda comum em defesa do desenvolvimento soberano e sustentável e da superação das desigualdades econômicas e sociais”, resume ele.

E continua: “Tenho certeza que honrei minha presença no PSOL, como militante, como construtor do partido e como senador. Saio para fortalecer minhas convicções e não para abandoná-las. Estou convicto que se a vida só pode ser compreendida olhando-se para trás, também só pode ser vivida, olhando-se para frente”, conclui.

Randolfe Rodrigues estava filiado desde 2006 ao PSOL, depois de ter saído do PT onde foi eleito e reeleito deputado estadual. Em 2014, foi escolhido como pré-candidato do PSOL à presidência da República, renunciando logo em seguida.

No segundo turno da eleição para o governo do Estado, apoiou a reeleição de Camilo Capiberibe (PSB) argumentando que precisava cumprir acordos. Logo depois os dois romperam.

A carta de desfiliação foi entregue ao diretório nacional do PSOL na sexta-feira, 25. Nesta segunda-feira, 28, ele tem um encontro com a presidente da Rede, Marina Silva, em Brasília, onde deve assinar filiação.

Compartilhamentos