Compartilhamentos

Desde a última quinta-feira, 24, a Polícia Militar tem autoridade para fiscalizar e até fechar bares, boates e similares que estejam funcionando fora de hora e sem a devida autorização da prefeitura de Macapá. Neste fim de semana, uma operação já pretende sensibilizar os proprietários desses estabelecimentos sobre a nova realidade.

A autonomia foi dada pela prefeitura da capital através de um Termo de Cooperação Técnica assinado entre comando da Polícia Militar e o município. O documento tem validade de 60 dias.

Capitão Pedro Davi: queremos que Macapá durma à noite

Capitão Pedro Davi: queremos que Macapá durma à noite

“O termo permite uma fiscalização administrativa da PM, principalmente quanto ao horário de funcionamento dos estabelecimentos. Queremos que Macapá, de fato, durma à noite”, explicou o capitão Pedro Davi, da Divisão de Comunicação da PM.

Neste fim de semana, cerca de 150 policiais já farão o serviço preventivo na capital, principalmente na orla do Santa Inês, bairro que lidera as reclamações de perturbação de sossego no Ciodes.

O termo prevê a fiscalização em bares, restaurantes, boates e outros estabelecimentos da capital amapaense. Para a PM, com a assinatura do termo espera-se que os índices de violência diminuam.

“Quando evitamos que os bares funcionem até altas horas, estamos combatendo motoristas alcoolizados, acidentes de trânsito e pessoas fazendo barulho em frente às casas de quem quer dormir”, enfatizou o capitão Davi.

 

Compartilhamentos