Compartilhamentos

O aumento do preço da passagem de ônibus de R$ 2,10 para R$ 2,75, em vigor desde sábado, 5, foi discutido na manhã desta terça-feira, 8, na Câmara Municipal de Macapá. Os vereadores criticaram o aumento que, segundo eles, é abusivo. A Comissão de Viação e Transporte da Câmara ouviu esclarecimentos da Companhia de Trânsito e Transportes de Macapá (CTMac), mas pretende convocar ainda o Sindicato das Empresas de Transporte de Passageiros (Setap) para dar explicações.

“Esse aumento é abusivo e não respeita o Poder Municipal, visto que essa discussão nem chegou a ser colocada em pauta nesta Casa. Nós da comissão sempre chamamos os órgãos para dialogar, mas o interesse não era recíproco”, enfatizou o presidente da comissão, vereador Diego Duarte.

Acácio Favacho: reajuste não se jsutifica

Acácio Favacho: reajuste não se justifica

Os vereadores argumentam que o correto seria a CTMac realizar estudos técnicos e, posteriormente, construir uma tabela de reajuste que seja viável, tanto para as empresas quanto para os usuários do transporte coletivo.

“Infelizmente é um mal necessário. A CTMac combate esse aumento há anos, e agora saiu essa determinação judicial. Nós acatamos, mas também buscamos dialogar”, frisou a diretora presidente da companhia, Cristina Baddini.

Para o presidente da Câmara, Acácio Favacho, o aumento não se justifica, mesmo com o argumento do Setap de comprar ônibus novos.

“Não existem abrigos, os veículos não cumprem horário, em momentos de pico as pessoas lotam os ônibus e ficam sem nenhum conforto. Não somos contra o aumento, isso teria que acontecer, mas queremos o mínimo de conforto para os usuários”, destacou Favacho.

Compartilhamentos