Compartilhamentos

O deputado Moisés Souza (PSC) vai chefiar o Poder Legislativo do Amapá até o dia 31 de dezembro de 2018. Ou seja, vai dar posse para o próximo governador. Ele foi reeleito antecipadamente na manhã desta quarta-feira, 9, em votação secreta. A atual mesa diretora tinha sido eleita em fevereiro deste ano, mas em agosto os deputados modificaram a lei permitindo que a eleição ocorra em qualquer período do ano. 

Moisés teve 21 dos 24 votos. Foram duas abstenções. A única que foi assumida publicamente foi do deputado Paulo Lemos (PSOL), que defendeu que haja rodízio na mesa diretora. O deputado Max da AABB (PSB) faltou à sessão, mas apresentou justificativa.

Votação foi secreta, e houve duas abstenções

Votação foi secreta, e houve duas abstenções

Moisés considerou a antecipação do processo fruto da condução do Legislativo, e anunciou que não pretende fazer alteração na gestão da Casa.

“A parte administrativa e financeira continua a cargo do corregedor (Michel JK, do PSDB), e a parte de plenário é comigo”, comentou.

Moisés pode ter repassado a gestão para JK, mas é ele quem comanda os rumos do Legislativo, especialmente na relação com o governo do Estado para quem precisa garantir apoio dentro do plenário, sobretudo nas votações mais importantes.

Com a antecipação da eleição, ele passa a ser um dos políticos mais influentes do Amapá, principalmente levando em consideração o fato de que irá tratar dos próximos cinco orçamentos estaduais e ainda dará posse para o próximo governador no último dia de 2018.

Será o quarto mandato consecutivo de Moisés, que agora segue mais blindado do que nunca para continuar a batalha nos tribunais contra o Ministério Público que move 15 ações contra ele e outros parlamentares. 

A posse só ocorrerá dentro de 1 ano e 7 meses.

 

Compartilhamentos