Compartilhamentos

A Delegacia de Crimes Contra o Patrimônio (DECCP) conseguiu desarticular nesta quarta-feira, 9, uma quadrilha especializada em assaltos do tipo “saidinha de banco”, e que tinha como alvos comerciantes de Macapá. O grupo, formado por nove pessoas, tinha como líder um criminoso que está preso no Instituto de Administração Penitenciária (Iapen), e ainda contava com informantes. Um dos membros da quadrilha tinha carteira de detetive particular que a polícia descobriu ser falsa.

A polícia cumpriu mandados de prisão contra Pedro Monteiro de Araújo, de 35 anos, preso no Bairro Pantanal; Marcos Valadares de Carvalho, de 42 anos, preso no Bairro Buritizal e Jean Barros Magalhães, de 26 anos, preso no Novo Horizonte. Outros três criminosos, que não tiveram os nomes informados, foram levados ao Iapen.

O detento Mauro de Nazaré, que responde por roubo, deverá responder por outros crimes também. Dois participantes dos crimes estão foragidos.

Organograma da quadrilha montado durante as investigações. Fotos: Cassia lima

Organograma da quadrilha montado durante as investigações. Fotos: Cassia lima

“O Mauro de Nazaré era quem articulava os assaltos. Ele pegava informações com o Pedro e com o Marcos por telefone de dentro do Iapen, aí os dois seguiam as vítimas para conhecer o dia a dia de cada uma e depois mandavam os executores realizarem os assaltos. O dinheiro era dividido entre todos”, explicou o delegado titular da DECCP, Paulo Reyner.

Existe a suspeita de que num período de três meses a quadrilha tenha praticado sete assaltos. Os crimes sempre ocorriam perto de bancos ou próximos de comércios. Durante as investigações foi constatado que a quadrilha chegou a praticar um assalto no valor de R$ 42 mil.

Delegado Paulo Reyner conduziu as investigações

Delegado Paulo Reyner conduziu as investigações

De acordo com o delegado, na semana passada eles estavam planejando um roubo de R$ 60 mil contra um empresário de Macapá, mas a polícia teve informações privilegiadas e frustrou o crime.

“Conseguimos informações do cabeça da quadrilha durante uma vistoria no Iapen. É possível que tenham mais pessoas envolvidas em outros bairros da cidade. Mas nesse momento só chegamos a esses nove. Orientamos as pessoas que ao sacar ou depositar grandes quantias tomem muito cuidado, principalmente com informações”, frisou o delegado.

Carteira de detetive usada por um dos membros da quadrilha

Carteira de detetives usada por um dos membros da quadrilha

 

Compartilhamentos