Compartilhamentos

A Secretaria de Educação do Amapá (Seed) bloqueou o pagamento de 360 servidores referente ao mês de agosto por falta de regularização cadastral. Segundo a Seed, os educadores recebiam regência sem estar em sala de aula e muitos até nem assinavam folha de ponto. Até mortos estavam recebendo os salários.

A Seed tem mais de 19 mil servidores. As suspeitas de irregularidades foram apontadas pela Unidade de Controle, Lotação e Movimentação da Seed. De acordo com o documento enviado ao Núcleo de Pessoal da Seed, muitos professores estavam à disposição de outras secretarias sem a devida documentação, ou recebiam os salários mesmo residindo fora do Amapá.

De acordo com o chefe da Ucolom, Josué Júnior, a suspensão do pagamento se deve a um processo para controle de pessoal iniciado em janeiro pelo governo e que visava identificar os gastos da secretaria.

Algumas aberrações foram encontradas. Num dos casos, uma servidora ganhava R$ 2,2 mil para dar aulas em Serra do Navio, mas as aulas não eram ministradas. A professora mora em Macapá. Mas existem histórias ainda piores.

“Encontramos desde falta de documentos até pessoas falecidas que recebiam da secretaria. Coisa absurda e fora da realidade. Ainda não sabemos se esses casos foram oportunismo ou irregularidade mesmo. Mas convocamos os professores a fazer a atualização de dados. Os pagamentos ilegais terão que ser devolvidos pelos responsáveis”, explicou.

Compartilhamentos