Compartilhamentos

André Silva –

A vacina contra o HPV, que previne o câncer de colo do útero, volta às escolas. A estratégia da Coordenação de Imunização de Macapá, visa alcançar meninas com idade entre 9 e 13 anos que não estão procurando os postos de saúde. Segundo a coordenação, a meta estabelecida pelo Ministério da Saúde ainda não foi alcançada este ano.

A campanha começou nesta quarta-feira, 16,  e a escola da comunidade de Santa Luzia do Pacuí foi a primeira a receber as equipes de imunização.

“Criou-se alguns mitos em torno da vacina. Para se ter uma ideia, tem gente que pensa que as meninas podem ficar estéreis com a vacina. Outros imaginam que a vacina vai incentivar a menina a ter relações sexuais precocemente. Isso é um absurso”, diz a coordenadora de Imunização de Macapá, Jorsette Cantuária.

A coordenadora Jorsette Cantuária orienta meninas nas escolas

A coordenadora Jorsette Cantuária orienta meninas nas escolas. Fotos: Ascom/Semsa

De acordo com o Ministério da Saúde, a meta para Macapá é vacinar 13.887 meninas este ano, mas até agora apenas 5 mil compareceram aos postos. Por isso, a coordenação sentiu a necessidade de voltar a campanha para as escolas. Ano passado 14 mil meninas foram imunizadas.

“As pessoas precisam entender que essa vacina é crucial para que as meninas se tornem adultas saudáveis, livres do câncer. Muitas moças com idade acima da estabelecida pelo MS, nos procuram querendo tomar a vacina, enquanto as que estão com a oportunidade não querem”, desabafa Jorsette.

A vacina é quadrivalente, ou seja, previne contra quatro tipos de HPV: o 16 e o 18, presentes em 70% dos casos de câncer de colo do útero; o 6 e o 11, presentes em 90% dos casos de verrugas genitais.

A vacina é aplicada em três doses. Após a primeira, a menina só vai tomar a segunda num prazo de seis meses, e a terceira em cinco anos. A campanha só terminará quando a meta for atingida.

Compartilhamentos