Compartilhamentos

Agentes da Delegacia de Crimes Contra o Patrimônio (Deccp) conseguiram prender nesta terça-feira, 6, o acusado de matar um universitário no Dia dos Pais, no Bairro Cidade Nova, na Zona Leste de Macapá. A vítima foi morta com quatro tiros ao tentar defender o pai durante uma tentativa de assalto.

No dia 9 de agosto, Acivaldo Lima dos Santos, de 22 anos, andava pela rua com o pai dele quando os dois foram abordados pelo bandido armado. Já era noite, e o lugar é um beco.

“O pai reagiu e foi agredido a coronhadas. Foi quando o filho tentou defendê-lo e foi alvejado com quatro tiros. Ele já chegou sem vida ao Hospital de Emergência de Macapá”, explica o delegado Glemerson Arandes, da Decpp.

Delegado Glemerson Arandes, da DECCP: "Ele sempre nega tudo"

Delegado Glemerson Arandes, da DECCP: “Ele sempre nega tudo”

Depois do crime a polícia precisou filtrar uma grande quantidade de informações desencontradas, mas que tinham algo em comum, a participação de Alexandro Amaral Pantoja, de 18 anos, dono de uma vasta ficha criminal que colecionou desde a adolescência junto com o irmão, que já cumpre pena no Iapen por posse ilegal de arma de fogo e outros crimes.  

Contudo, a identificação começou com o reconhecimento feito pelo pai da vítima. Além dele, uma moradora também identificou Alexandro, e fez uma revelação sobre o caso. Ela também teria visto quando Alexandro roubou outra pessoa minutos antes do assalto que terminou em assassinato.

“Nós não sabíamos desse outro caso. A vítima era um senhor que teve o cordão roubado. A credibilidade dessa testemunha foi reforçada. Não era invenção dela”, avalia Arandes.

Alexandro foi preso por volta das 6 horas da manhã na casa da mãe dele, no Cidade Nova, por ordem da Justiça. Na delegacia, como já tinha feito em outras prisões por posse de drogas e arma, ele também negou todas as acusações. “Ele sempre nega tudo, É queixo duro”, ironizou o delegado.

 

Compartilhamentos