Compartilhamentos

Humberto Baía, de Oiapoque –

No extremo Norte do Brasil, os moradores de Oiapoque voltaram às urnas para votar nos 27 candidatos que concorriam a cinco vagas no Conselho Tutelar. As filas foram longas nos locais de votação. Assim como em outros municípios, o voto ocorreu em cédulas de papel, por isso houve demora. Um candidato índio foi o campeão de votos.

O tempo de permanência na fila chegou a 2 horas.

O tempo de permanência na fila chegou a 2 horas

O tempo médio de votação foi de 10 minutos para cada eleitor, o que causou uma demora de até duas horas na fila. Por isso, muitos eleitores que vieram de Caiena, na Guiana Francesa, acabaram desistindo de votar.

Apesar disso, a coordenação do processo avaliou que tudo ocorreu dentro do previsto. O processo teve a supervisão do Ministério Público do Estado.

A última urna chegou por volta das 19 horas. MPE acompanhou todo o processo

A última urna chegou por volta das 19 horas. MPE acompanhou todo o processo

A última urna só chegou à central de apuração por volta das 19 horas, e a contagem foi longa.  Muita gente acompanhava em um telão a totalização dos votos.

Nas cinco seções montadas, 2.822 pessoas compareceram para depositar os votos. No total, 89 votos foram anulados. A grande surpresa foi o candidato Franke Lambonte, da aldeia Kumenê, que teve mais de 380 votos. Ele foi o campeão de votos.

Central de apuração dos votos: contagem foi longa

Central de apuração dos votos: contagem foi longa

Compartilhamentos