Compartilhamentos

A primeira noite da 51ª Expofeira não foi feita apenas de negócios e entretenimento. Servidores públicos do setor econômico, vigilantes e sindicatos aproveitaram para fazer um protesto e o local escolhido foi um dos acessos do Pavilhão de Negócios, uma das principais atrações do Parque de Exposições.

Cerca de 40 manifestantes, alguns da Central Única dos Trabalhadores (CUT), participaram segurando velas e faixas com frases cobrando do governo o pagamento de benefícios, reposição salarial e condições de trabalho em órgãos técnicos como Rural, Seinf, Setec, Imap e outros.

A PM apenas acompanhou de perto o protesto que foi pacífico. Fotos: André Silva

A PM apenas acompanhou de perto o protesto que foi pacífico. Fotos: André Silva

“Queremos mostrar pra população que apesar de a Expofeira focar na economia, nas nossas instituições estamos vivendo uma realidade totalmente diferente. Falta carro pro extensionista e às vezes até tinta pra impressora”, resumiu o presidente do Sindicato dos Servidores do Setor Econômico, Wellison Severino.

No total, a categoria é formada por mais de 400 servidores que estão em greve desde o dia 26 de outubro.

Compartilhamentos