Compartilhamentos

Mais uma vez os moradores do município de Ferreira Gomes, a 135 quilômetros de Macapá, foram surpreendidos uma grande quantidade de peixes mortos às margens do Rio Araguari. A Associação de Atingidos por Barragens atribui o incidente às atividades da Hidrelétrica de Ferreira Gomes e afirma que essa foi a maior mortandade de peixes já registrada na região.  

“Isso acontece quando eles (Ferreira Gomes Energia) abrem as comportas, mas eles fazem isso de madrugada pra ninguém ver os peixes mortos. Desta vez a quantidade foi muito grande e não deu tempo de recolher tudo”, acusa o presidente da associação, Moroni Guimarães.

Moradores mais pobres recolhem os peixes para comer. Fotos enviadas por moradores

Moradores mais pobres recolhem os peixes para comer. Fotos enviadas por moradores

A orla de Ferreira Gomes amanheceu tomada de peixes de várias espécies. Famílias mais pobres estão recolhendo os peixes para comer.

Foi terceira vez que houve registro de mortandade de peixes no Araguari em pouco mais de um ano. A primeira foi registrada em setembro de 2014. Na época, os moradores usaram os peixes mortos para bloquear a BR-156 em sinal de protesto.

Nos dois primeiros casos ficou constatado por meio de exame que a mortandade foi causada pela liberação violenta de água da barragem. A Ferreira Gomes Energia foi multada em mais de R$ 10 milhões e obrigada a assinar um Termo de Ajustamento de Conduta.

“Se a atividade é com turbina de fio de água, como é que ocorre isso sempre?”, questiona Guimarães.  “A empresa proíbe a pesca no lago, mas ao mesmo tempo mata os peixes”, acrescenta.

A Associação de Atingidos por Barragens registrou queixa na delegacia de polícia do município e acionou o Imap que enviou uma equipe para o local ainda pela manhã. Na próxima segunda-feira, 16, a entidade vai pedir ao Ministério Público Federal que abra um inquérito para investigar o caso.

Compartilhamentos