Compartilhamentos

CÁSSIA LIMA –

Professores realizaram protesto na manhã desta terça-feira, 17, fechando a Rua General Rondon, em frente ao Palácio do Setentrião, no Centro. Eles reivindicam uma gratificação de 15% sobre os salários. Esses educadores fazem parte de um grupo de cerca de 600 profissionais que não atuam em salas de aulas, mas desenvolvem atividades educacionais em outros setores do governo.

Segundo o Sindicato dos Servidores Públicos da Educação do Amapá (Sinsepeap), o grupo quer ser incluído na mesma proposta que concedeu no início do ano uma gratificação de 15% para pedagogos e auxiliares educacionais.

Professores montaram barraca em frente ao Setentrião. Fotos: Cássia Lima

Professores montaram barraca em frente ao Setentrião. Fotos: Cássia Lima

“Não queremos nada impossível ou que não seja direito nosso. Queremos falar com o governador para que ele repense a posição do governo em relação aos benefícios para esse grupo de professores. Nós temos direito a gratificação, que tem que ser paga para todos”, frisou a professora Luciana Moraes.

Apesar dos gritos de ordem, faixas e obstrução da rua, o movimento não conseguiu dialogo com o governador e nem com a Secretaria de Educação. De acordo com os profissionais, na sexta-feira, 13, houve uma reunião da categoria com a Secretaria de Planejamento (Seplan), mas nenhuma proposta concreta foi apresentada.

A Secretaria de Estado da Educação (Seed) comunicou que não há proposta e nem previsão financeira para pagar o benefício a esse grupo de servidores. A alternativa é que eles retornem para a sala de aula, e só então terão direito à regência de classe.

Compartilhamentos