Compartilhamentos

HUMBERTO BAÍA, DE OIAPOQUE – 

Feriadão na fronteira, tudo tranquilo. Muita gente aproveitou para ir até a capital Macapá. Mas no cemitério de Oiapoque, cidade a 590 quilômetros de Macapá, também houve bastante movimento. As famílias aproveitaram para visitar e dar manutenção nos túmulos dos entes querido.

Movimento foi tranquilo no único cemitério. Fotos: Humberto Baía

Movimento foi tranquilo no único cemitério. Fotos: Humberto Baía

Dona Célia Magno diz que sempre visita o túmulo do filho, independentemente de ser o Dia Finados, mas é nesse dia que ela mais se dedica limpando até os túmulos vizinhos, tudo para homenagear o filho morto em um trágico acidente, conta ela.

Em Oiapoque o cemitério público e o único, e já está no limite.

“Estamos fazendo o georeferenciamento de uma nova área para abrigar outro cemitério a partir de 2016”, informa o diretor do cemitério, Cássio Marabá.

Cemitério está no limite da capacidade

Cemitério está no limite da capacidade

Durante a semana, o cemitério também passou por uma pequena reforma, e refletores também foram instalados para quem prefere fazer as visitas à noite.

Compartilhamentos