Compartilhamentos

CÁSSIA LIMA – 

Os usuários do plano de saúde Unimed Macapá já não sabem mais para quem apelar para serem atendidos. O hospital, localizado na Rodovia JK, não está fazendo atendimento de urgência e nem aceitando novas internações. A demanda está sendo encaminhada para o Hospital São Camilo. Segundo os clientes, o que mais irrita é a falta de informação.

“Tenho plano aqui há mais de 8 anos e nunca vi esse hospital tão bagunçado. É um desrespeito total com os usuários. Ninguém quer falar nada ou dar uma informação mínima, mas no fim do mês a conta é certa. É absurdo”, comentou indignada, Manuela Vasques, de 38 anos.

No Pronto Atendimento apenas casos menos graves são atendidos. Fotos: Cássia Lima

No Pronto Atendimento apenas casos menos graves são atendidos. Fotos: Cássia Lima

Desde o início do ano que a Unimed enfrenta dificuldades de gerir sua carteira de clientes em Macapá. Em setembro deste ano, enfermeiros, técnicos e auxiliares de enfermagem fizeram uma paralisação de três dias para protestar contra a carga de trabalho excessiva.

Em outubro, a Federação das Unimeds da Amazônia (Fama) conseguiu autorização da Agência Nacional de Saúde (ANS) para assumir o comando da cooperativa local. Mas nada mudou e as dificuldades continuam.

“Nenhum médico cooperado está trabalhando. Eles estão sem receber há quase seis meses. Hoje, aqui na emergência tem duas médicas contratadas atendendo, mas só casos sem gravidade”, informou uma funcionária que preferiu não ser identificada.

Há 30 anos que a Unimed Macapá atende os usuários em Macapá. Atualmente, a cooperativa possui mais de 30 mil clientes, mais de 30 médicos e 136 funcionários do setor técnico.

O site SelesNafes.Com procurou a diretora-presidente da Unimed, Joana Aquino Leão, para dar esclarecimentos sobre os transtornos enfrentados pelos clientes, mas fomos informados pela secretária, que ela não dará nenhuma entrevista sobre o assunto. O segurança da Unimed não permitiu que a equipe tirasse fotos dentro do hospital.

Compartilhamentos