Compartilhamentos

ANDRÉ SILVA – 

A primeira reunião da Comissão Processante criada na Assembleia Legislativa para investigar o presidente afastado Moisés Sousa (PSC) por possíveis irregularidades na administração financeira da Casa, durou menos de 15 minutos. Na reunião, os deputados aprovaram requerimento solicitando uma prestação de contas de todos os órgãos que compõem o setor administrativo da Assembleia, e deram um prazo de 72h para que os relatórios sejam apresentados.

O deputado Augusto Aguiar (PMDB), através de um requerimento verbal, foi quem solicitou que fossem investigados os setores que fazem parte da administração da Casa, como Diretoria Geral, Secretaria Geral, Auditoria Geral e Secretaria de Orçamento. Esse tipo de requerimento está previsto no Regimento Interno e pode ser solicitado por qualquer parlamentar.

“Através desse requerimento nós vamos saber qual é a real situação da Assembleia quanto às dívidas, repasses de duodécimos, Previdência, enfim. Queremos saber o que realmente aconteceu com os repasses que a Alap recebeu”, disse o deputado Aguiar.

A comissão é formada por cinco parlamentares: Augusto Aguiar (PMDB), Roseli Matos (DEM), Jaci Amanajas (PROS), Fabrício Furlan (Psol) e Ericlaudio Alencar (PRB). Os deputados esperam que todas as informações solicitadas sejam apresentadas dentro do prazo. A presidente da comissão, deputada Roseli Matos, deixou claro que o deputado Moisés Sousa tem até 15 dias para apresentar sua defesa.

A comissão volta a se reunir na próxima segunda-feira, 14, no plenário da Assembleia às 16h.

Compartilhamentos