Compartilhamentos

ANDRÉ SILVA – 

Depois do anúncio de que não haverá carnaval em 2016 por falta de recursos, a Liga Independente das Escolas de Samba do Amapá (Liesap) começa a contabilizar os prejuízos das agremiações que fizeram despesas antecipadas para o evento. As dívidas chegam a R$ 700 mil, segundo a presidência da entidade.

Na tarde desta quinta-feira, 10, a presidência da Liesap e representantes do governo do Estado reuniram a imprensa para esclarecer os motivos do cancelamento dos eventos carnavalescos (foto acima). Ainda pela manhã, uma reunião a portas fechadas o governador Waldez Góes anunciou aos representantes da Liesap que o governo não tem condições financeiras para bancar R$ 2,5 milhões para ajudar o carnaval.

O anúncio oficial do cancelamento do carnaval foi feito à imprensa na tarde desta quinta-feira. Fotos: André Silva

O anúncio oficial do cancelamento do carnaval foi feito à imprensa na tarde desta quinta-feira. Fotos: André Silva

De acordo com a liga, para que o carnaval de 2016 fosse realizado seriam necessários R$ 9,5 milhões. A expectativa era que o governo do Estado entrasse com R$ 2,5 milhões. Segundo o presidente da entidade, Luiz Mota, o Geléia, a liga tem hoje em caixa R$ 6,5 milhões, mas esse valor não é suficiente para realizar do carnaval.

“Só com os recursos das agremiações e da liga, envolvendo todo o lucro do carnaval, não há condições da liga realizar o desfile. Sem esse aporte do governo que sempre sai na reta final de toda a construção do carnaval, não há condições”, lamentou o presidente.

Além da Liesap, outros segmentos também foram afetados, entre eles A Banda

Além da Liesap, outros segmentos também foram afetados, entre eles A Banda

Nós demoramos para dar essa notícia porque esperávamos que o cenário pudesse mudar, mas não aconteceu. Dia 15 de dezembro reuniremos com as lideranças do carnaval para pensarmos o carnaval para 2017. Infelizmente todas as manifestações que representam o carnaval, como A Banda e os blocos também sofrerão esse impacto”, disse Carlos Marques, chefe adjunto do gabinete do governador.

Uma comissão permanente será formada dentro do governo para dar uma nova cara para o carnaval amapaense.

Compartilhamentos