Compartilhamentos

DA REDAÇÃO –

A Delegacia de Tóxicos e Entorpecentes (DTE) incinerou nesta sexta-feira, 18, cerca de 70 quilos de drogas apreendidas este ano no Amapá, a maior parte maconha. Outros 300 quilos já foram destruídos no primeiro semestre deste ano.

A incineração foi realizada às 9h em uma cerâmica localizada no fim da principal avenida do Bairro Zerão.

Nas primeiras incinerações deste ano, a maior parte das drogas era cocaína (quase 200 quilos) e crack. Na remessa que será destruída nesta sexta-feira, 60 quilos são de maconha.

As primeiras incinerações   destruíram mais de 300 quilos. Fotos: Arquivo

As primeiras incinerações destruíram mais de 300 quilos. Fotos: Arquivo

O delegado titular da DTE, Ronaldo Coelho, explicou porque as incinerações costumam demorar.

“São muitas apreensões ao logo do ano, algumas pequenas e outras maiores. A gente precisa deixa volume se acumular e depois esperar autorização judicial para fazer a incineração”.

Delegado Ronaldo Coelho: principal porta de entrada continua sendo Santana

Delegado Ronaldo Coelho: principal porta de entrada continua sendo Santana

Ainda de acordo com o delegado, a principal porta de entrada de drogas no Amapá continua sendo a Área Portuária do município de Santana, a 17 quilômetros de Macapá. Ele não acredita que com a abertura da Ponte Binacional a fronteira com a Guiana Francesa passe a ser também um corredor de entrada de entorpecentes.

São 100 quilos de pedra bruta que resultaria em 350 quilos de droga nas ruas

100 quilos de pedra bruta de cocaína que resultariam em 350 quilos de droga nas ruas

“Com a ponte bem vigiada isso não vai ocorrer. Os crimes na fronteira são geralmente tráfico de armas”, explicou.

Compartilhamentos