Compartilhamentos

DA REDAÇÃO – 

Três grandes nomes da música nortista se juntam em um show inédito em Macapá encerrando o ano do projeto Conexão Amazônia. Lucinha Bastos, Edilson Moreno e Zé Miguel, prometem embalar o público com canções que marcaram suas carreiras. O evento acontece nesta terça-feira, 29, na AABB.

O projeto Conexão Amazônia surgiu através de Zé Miguel e tem como foco o encontro de cantores e compositores da região, cantando e tocando seus sucessos e fazendo a interação de estilos e ritmos. Na primeira edição, Zé Miguel recebeu Nilson Chaves. Na segunda, foi a vez de Lia Sophia e Enrico Di Miceli se juntarem no palco. Nesta última edição de 2015, o sucesso se repete com Lucinha Bastos e Edilson Moreno.

Lucinha Bastos:

Lucinha Bastos: paraense que canta o norte pelo Brasil afora

No repertório do Conexão Amazônia, a mistura de estilos consagrados de cada artista, como “Os Passa a Vida”, “Não Vou Sair”, “Nasci para Bailar”, cruzando  com os bregas nostálgicos e atuais, e os sucessos da Música Popular Amapaense (MPA).

“Será o show marcante de fim de ano, em ritmo dançante para fechar 2015 num clima festivo e de confraternização”, disse Zé Miguel.

Edilson Moreno: de Lamazon

Edilson Moreno: de Lamazon a Pirangueiro, agora no Conexão Amazônia

Os artistas

A intérprete paraense Lucinha Bastos tem mais de 30 trabalhos registrados, entre LPs, CDs e DVDs, entre independentes e participação em discos de amigos, de empresas e instituições. Agrega na carreira apresentações na sala Funarte, Free Jazz Festival e ao lado de Ângela Maria, Elizeth Cardoso, Banden Power, Sebastião Tapajós, Fafá de Belém, entre outros notáveis da música brasileira. O projeto Trilogia, idealizado por Lucinha, Nilson Chaves e Mahrco Monteiro, desde 2004 rendeu três CDs ao vivo e um DVD. Em 2013 o show foi apresentado em Macapá.

Nascido no Maranhão, Edilson Moreno iniciou a carreira artística no Amapá, cantando músicas regionais, seguindo os caminhos trilhados por Zé Miguel, Amadeu Cavalcante, Val Milhomem e Osmar Júnior. Abriu as portas no Pará cantando e compondo brega, e hoje é um dos grandes ícones do estilo, principalmente no Norte do Brasil,  autor de sucessos como Lamazon e Pirangueiro.

Compartilhamentos