Compartilhamentos

MANOEL DO VALE – 

Termina nesta quinta-feira, 3,  o XVI Encontro do Programa Nacional de Incentivo à Leitura (Proler) no Amapá. O programa uma iniciativa da Biblioteca Nacional e do Ministério da Cultura, com ações em todo país voltadas para a valorização social da leitura e da escrita.

O Proler foi criada em 1992 com a missão de promover a democratização do acesso à leitura, ação fundamental para o desenvolvimento técnico e social do País.

No Amapá, o Proler é responsável, entre outros projetos, pela criação da Feira de Livro do Amapá (FLAP), evento que chegou a ser colocado no calendário de feiras literárias do país, mas que, infelizmente, não chegou à sua terceira edição.

Helen Costa coordena o Proler no Amapá. Fotos: Manoel do Vale

Helen Costa coordena o Proler no Amapá. Fotos: Manoel do Vale

Reunidos no auditório da Biblioteca Eucy Lacerda, cerca de 100 profissionais ligados às salas de leitura das escola públicas, discutem o tema “Refletindo Ações Literárias”, em um encontro que oferece oficinas e palestras com temas ligados à literatura.

Carla Nobre e Thiago Quingosta ministraram oficinas sobre a poesia jovem no Amapá e realizaram um recital de poesia que mexeu com a libido dos participantes. A livreira Ângela Carvalho palestrou sobre Letramento e Autonomia: o papel da contação de história no processo.

Auditório do evento sempre lotado nos dois dias do encontro

Auditório do evento sempre lotado nos dois dias do encontro

“Nós desenvolvemos várias ações durante o ano, e hoje nós estamos fazendo esse encontro para trazer todas as ações mensais realizadas em 2015, como encontros, formação (oficinas) tanto na rede de escolas do estado quanto do município”, esclareceu a coordenadora do Proler no Amapá, Helen Costa Coelho.

A professora acrescenta que as oficinas ministradas pelos profissionais do Proler tiveram média de público de 60 profissionais por evento, a maioria profissionais que têm atuação nas salas de leitura.

Compartilhamentos