Compartilhamentos

DA REDAÇÃO – 

Uma carta atribuída ao presidente afastado da Assembleia Legislativa do Amapá, Moisés Sousa, afirma que o parlamentar esteve no Superior Tribunal de Justiça (STJ) prestando depoimento em um inquérito que investiga suposta prática de crimes de corrupção, prevaricação e outros crimes contra a administração pública, que envolve autoridades ligadas ao Judiciário, Legislativo e órgãos de fiscalização.

Carta diz que STJ instaurou inquérito para apurar existência de associação criminosa para beneficiar o Executivo. Foto: Reprodução

Carta diz que STJ instaurou inquérito para apurar existência de associação criminosa para beneficiar o Executivo. Foto: Reprodução

“Assumi o compromisso com o senhor ministro relator de enviar, incontinente, base documental que me for permitido acessar, visando elucidar condutas alvo da investigação”, afirma a nota assinada por Moisés Souza.

Mesmo diante dessa referência, Moisés não confirma no documento que fez algum acordo de delação premiada com o STJ, apenas reforça que não renunciou ao cargo de presidente da Assembleia Legislativa, e muito menos de deputado estadual.

Entretanto, ele entrou com ações no Tribunal de Justiça do Amapá e no próprio STJ, postulando a sua recondução ao cargo de presidente.

Moisés Souza está afastado da presidência da Alap desde o início de dezembro por decisão dos próprios parlamentares que o acusam de má gestão, e mais recentemente de tentar obstruir investigações a respeito de contratos celebrados em sua administração.

Sobre as informações divulgadas até agora, a carta acusa a imprensa de tentar confundir a opinião pública.

Compartilhamentos