Compartilhamentos

CÁSSIA LIMA

Com a aprovação do orçamento de 2016, muitos valores estão sendo reduzidos na Assembleia Legislativa do Amapá. Ao todo, por mês, serão R$ 4 milhões a menos na folha de pagamento que antes chegava a R$ 6 milhões.

A Assembleia Legislativa passa por mudanças desde que o deputado Moisés Sousa (PSC) foi afastado da presidência em 1º de dezembro de 2015. Além da na folha, a direção da Alap também está anunciando cortes nos contratos com prestadoras de serviço e fornecedores.

“Existem serviços que não iremos mais precisar, outros que não teremos como manter. Dos 4 prédios alugados, pelos menos um, a garagem da Avenida Padre Júlio (Maria Lombaerd), não vamos renovar o contrato. Ainda vamos fazer mais exonerações”, frisou o ex-deputado e agora administrador da Assembleia, Keka Cantúaria.

Em 2016, o orçamento da Assembleia será de R$ 161 milhões, sendo que R$ 11 milhões serão destinados ao pagamento de salários dos servidores.

“Não há um setor específico, vamos reduzir tudo para, inclusive, cumprirmos a Lei de Responsabilidade Fiscal que prevê 3%  do nosso orçamento para nossa folha. Estamos pensando em dispensar a empresa de segurança e deixar esse trabalho apenas para a PM”, destacou Cantuária.

Apesar do administrador não admitir a existência de funcionários fantasmas, um servidor da casa informou ao site que a antiga gestão mantinha uma folha com funcionários que recebiam salários, mas nunca batiam ponto na assembleia.

Compartilhamentos