Compartilhamentos

DA REDAÇÃO 

Com a chegada das primeiras chuvas, as obras de manutenção da BR-156 foram retomadas pela Secretaria de Estado de Transportes (Setrap). Os trabalhos também se estendem às rodovias estaduais.

O novo secretário de Transportes do Amapá, Jorge Amanajás, informou que as obras são uma continuação dos trabalhos realizados nas rodovias no segundo semestre do ano passado. O objetivo é evitar erosões e problemas no pavimento e recuperação de pontes.

No trecho Sul, por exemplo, a manutenção vai atingir os 260 quilômetros da estrada, sobretudo na parte que corta a reserva do Cajari, local que sempre apresenta atoleiros.

Novo secretário de Transportes, Jorge Amanajás: continuação dos trabalhos do segundo semestre

Novo secretário de Transportes, Jorge Amanajás: continuação dos trabalhos do segundo semestre

Ao Norte, onde 112 quilômetros ainda não são pavimentados, a atenção especial é para o trecho que corta as aldeias Uaçá, onde em 2015 houve ruptura da estrada e isolamento de Oiapoque.

“Este ano estamos bem mais preparados em relação ao ano passado, quando tivemos problemas com essas estradas devido ao longo período que elas ficaram sem receber esses serviços. Dando continuidade ao que foi feito no verão, iremos atuar nos pontos críticos, que são as ladeiras e em áreas onde tradicionalmente há concentração de atoleiros”, explicou.

Trabalhos serão concentrados em 260 quilômetros do trecho Sul. Foto: Secom

Trabalhos serão concentrados em 260 quilômetros do trecho Sul. Foto: Secom

Os trabalhos também se concentram no trecho de terra da AP-70, AP-110, entre os distritos de São Joaquim e a sede do município de Cutias de Araguari, a 140 quilômetros de Macapá. Os ramais agrícolas foram incluídos no cronograma de obras.

“Esses trechos de ambas as rodovias estão contemplados no conjunto de ações do governo que integra o plano rodoviário, mas ainda não foi possível realizar a pavimentação em razão da existência de vestígios arqueológicos que foram encontrados na região. O Iphan só nos autorizou fazer a conservação desses pontos”, frisou.

Como a BR-156 é federal, o governo do Amapá detém apenas o contrato de manutenção. As obras de construção são responsabilidade do Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (Dnit). Em 2013, o governo do Amapá abriu mão de continuar com o contrato de construção da rodovia federal.

Compartilhamentos