Compartilhamentos

DA REDAÇÃO

Na tarde desta quarta-feira, 6, os deputados que fazem parte da Comissão Especial Parlamentar (CEP) que apura possíveis irregularidades na administração do deputado Moisés Sousa (PSC), e que resultaram no afastamento dele da presidência da Casa, ouviram os proprietários das empresas que têm contratos com a Assembleia Legislativa. Mas, a reunião foi a portas fechadas e a imprensa não teve acesso.

A comissão ficou de divulgar na quinta-feira, 7, uma nota à imprensa com os pontos mais relevantes do depoimentos. Os empresários forneceram informações e documentos que vão fazer parte do relatório final da comissão.

A deputada Roseli Matos (DEM) é quem preside a CEP, tendo como vice-presidente o deputado Ericláudio Alencar (PRB) e na relatoria o deputado Jaci Amanajás (PROS). Os deputados Fabrício Furlan (PSOL) e Augusto Aguiar (PMDB) são membros.

Os depoimentos dos empresários atenderam requerimentos aprovados no dia 31 de dezembro. Foi ouvida a proprietária da empresa Ética Turismo e proprietário da Vigex Vigilância e Segurança Privada Ltda. Ambos os processos passam por auditagem.

A CEP terá 120 dias para concluir os trabalhos de apuração e o prazo pode ser prorrogado por mais 80 dias.

Compartilhamentos