Compartilhamentos

ANDRÉ SILVA

Uma mulher grávida de três meses morreu nesta quarta-feira, 6, no Hospital da Mulher Mãe Luzia, vítima de parada cardíaca. O que chama atenção nesse caso, é o fato dela ter caído da maca enquanto recebia atendimento. Isso, segundo os familiares, teria contribuído para a morte de Elisandra Nobre, de 34 anos. O marido dela estava inconsolável e chorava muito (foto em destaque),

Mas os médicos do HMML dizem que o quadro de saúde dela era grave em função da gravidez de risco, além de estar muito acima do peso, com mais de 100 quilos.

Maiara Ketlen, de 17 anos, é uma das testemunhas do caso. Ela contou que Elisandra caiu duas vezes da maca enquanto era atendida.

Elisandra, que tentou engravidar várias vezes, mostra a barriga

Elisandra, que tentou engravidar várias vezes, mostra a barriga

“Ela estava sentindo dores e chorava muito. Colocaram ela em uma maca que não suportou o peso e despencou. Depois pegaram ela de novo e fizeram massagem. Quando o médico estava fazendo os procedimentos a maca despencou de novo”, disse a jovem.

De acordo com os registros do HMML, Elisandra deu entrada às 11h30min com fortes dores do abdômen. O diretor do hospital, Walter André, que fez o atendimento da paciente, nega que tenha havido uma segunda queda.

“Quando fui atender a paciente, ela já tinha caído da maca. Elisandra chegou à mim já com parada cardíaca. Fizemos todos os procedimentos para esse tipo de caso, mas não obtivemos êxito. Estão dizendo que ela caiu novamente enquanto eu fazia a massagem, mas isso é mentira”, disse o diretor.

Walter André explica que a gravidez de Elisandra era de risco porque o bebê, segundo ele, estava se formando fora do útero.

Familiares e amigos de Elisandra consternados com a notícia

Familiares e amigos de Elisandra consternados com a notícia. Fotos: André Silva

“Alem disso, tem o fato dela estar acima do peso o que pode ter ocasionado a parada cardíaca, mas não podemos confirmar isso até que saia o laudo com as causas da morte”, afirmou o médico.

Os familiares de Elisandra estavam inconsoláveis. Eles contam que ela já havia tentado engravidar por três vezes, e que vinha fazendo o acompanhamento da gravidez corretamente.

O médico Walter André fez os procedimentos mas não conseguiu salvar Elisandra

O médico Walter André fez os procedimentos mas não conseguiu salvar Elisandra

O corpo de Elisandra foi levado para o Instituto Médico Legal (IML) para passar por necropsia. O marido dela, que não quis falar com a nossa equipe, compareceu para fazer reconhecimento.

Compartilhamentos