Compartilhamentos

SELES NAFES

O empresário e suplente de senador, Josiel Alcolumbre (DEM-AP), disse nesta quarta-feira, 20, que não pretende concorrer como candidato a vice na chapa do prefeito da capital, Clécio Luiz (sem partido), como vários aliados têm sugerido. No entanto, ele diz que aceita a missão caso o arco de alianças queira assim.

Josiel, que tem 42 anos, atua no setor das comunicações e preside o Sindicato das Empresas de Rádio e Televisão do Amapá. Em 2014, coordenou no Amapá as campanhas do irmão, Davi Alcolumbre (DEM) ao Senado, e de Aécio Neves à Presidência da República. Josiel é suplente de Davi, que deve disputar as eleições de 2018 para o governo do Estado.

Josiel na campanha de televisão em 2014: projeto para 2018

Josiel na campanha de televisão em 2014: projeto para 2018

Em caso de uma vitória de Davi, é ele quem assumirá a vaga do Amapá no Senado.

“Se me perguntarem se quero ser vice-prefeito, eu digo que não, mas se os partidos quiserem assim, eu aceitarei. O meu projeto para o Amapá é ver o Davi governador e vou representar o Amapá em Brasília. Pela primeira vez o Amapá terá a chance de ter um governador com larga experiência de Brasília, capaz de trazer recursos que não são de empréstimo”, defendeu ele.

Nossa prioridade é reeleger o prefeito de Macapá

“Nossa prioridade é reeleger o prefeito de Macapá”

Josiel e o senador Davi Alcolumbre fazem parte do grupo que hoje comanda os rumos da prefeitura de Macapá. O grupo inclui, além do prefeito, o senador Randolfe Rodrigues (REDE-AP) e o ex-candidato ao governo do Estado, vereador Lucas Barreto, recentemente filiado ao Democratas.

“Nossa prioridade é reeleger o prefeito Clécio. Não existe qualquer pré-condição a meu respeito”, finalizou.

No município de Santana, o grupo articula o nome da Professora Zilma na corrida pela sucessão de Robson Rocha (PP).

Compartilhamentos