Compartilhamentos

OLHO DE BOTO 

Policiais militares do município de Santana, cidade a 17 quilômetros de Macapá, conseguiram frustrar a ação de ratos d’água na tarde desta terça-feira, 19. Uma das armas apreendidas com os criminosos é de uso restrito das forças policiais, uma pistola ponto 40. De acordo com levantamento da polícia, a pistola estava à disposição da Justiça como  peça de inquérito policial. A PM ainda não sabe como a arma foi furtada.

Três pessoas foram conduzidas até a delegacia de polícia da UPC do Igarapé da Fortaleza, sendo que um é menor de idade. Os  suspeitos foram presos no  início da tarde em um porto localizado na Ilha de Santana, comunidade ribeirinha a 10 minutos de barco da sede da cidade.

Armas e os lacres de plástico que seriam usadas como algemas: Fotos: Olho de Boto

Armas e os lacres de plástico que seriam usadas como algemas: Fotos: Olho de Boto

Um morador percebeu a atitude suspeita de alguns homens numa lancha que atracou no porto em frente a um comércio. Eles permaneceram por lá de olho na movimentação. Esse fato despertou a atenção do morador que resolveu acionar a polícia.

Quando os militares chegaram, duas pessoas que estavam na embarcação foram abordadas e em meio às mochilas foram encontradas as duas armas de fogo.

Gilciegleson Fialho Vieira, de 20 anos, estava na companhia de um menor de 17 anos. Os dois foram conduzidos para a UPC, onde Gilciegleson contou ter vindo de Breves (PA) e que estava há pouco tempo em Macapá.

Arma estava à disposição da Justiça e foi parar nas mãos dos criminosos. Fotos: Olho de Boto

Arma estava à disposição da Justiça e foi parar nas mãos dos criminosos. Fotos: Olho de Boto

Ele também admitiu que seu objetivo era assaltar uma embarcação. Na hora do cerco policial, apenas Gilciegleson e o menor foram presos. Horas depois, a polícia conseguiu localizar uma terceira pessoa, um ex-marinheiro. Ele também foi conduzido à delegacia  para prestar esclarecimentos.

A polícia constatou que a  embarcação estava alugada para o ex-marinheiro. Ele alegou que alugou da lancha para promover um passeio, mas não soube explicar sobre a apreensão das armas nem a prisão dos suspeitos. Os três estão à disposição do delegado de plantão. 

Compartilhamentos