Compartilhamentos

DA REDAÇÃO

A eleição da OAB/AP deu sinais neste fim de semana de que ainda não terminou. Após uma guerra de liminares e impugnações, a narrativa teve uma nova página escrita quando um grupo de advogados, liderados por Ulisses Trasel (candidato derrotado nas urnas), invadiu a sede da instituição e o “empossou” como presidente da entidade. A chapa adversária e vitoriosa no pleito, de Paulo Campelo, chamou a Polícia Federal para intervir na situação.

Segundo um vigia da instituição, que preferiu não ser identificado, no grupo de Ulisses havia um ex-tesoureiro da OAB que possuía uma cópia da chave do portão principal. Eles chegaram por volta das 17h30min da sexta-feira, 1º.

Documento emitido pelo presidente do Conselho Federal, Marcos Vinícius: desrespeito

Documento emitido pelo presidente do Conselho Federal, Marcos Vinícius: desrespeito

“Eu não ouvi nada. Quando percebi, eles já estavam entrando pela porta e me dando ordens para acender as luzes do auditório e ligar o ar-condicionado. Eles estavam com pressa e pareciam nervosos. Fiquei coagido e obedeci”, contou o vigia.

O grupo passou apenas 30 minutos no prédio da OAB. Assim que o presidente Paulo Campelo tomou conhecimento da invasão, acionou a PF, mas quando a polícia chegou lá os advogados já tinham ido embora. Apenas um boletim de ocorrência foi registrado.

De acordo com registros do Conselho Federal da Ordem dos Advogados do Brasil, a chapa 02, encabeçada pelo advogado Paulo Campelo, venceu a chapa de Trasel no dia 17 de novembro por 633 a 607 votos.

A suposta posse de Trasel foi amplamente divulgada por ele nas redes sociais com o seguinte título: “Presidente e diretores empossados da OAB/AP para o triênio 2016/2018”. Muitos eleitores ficaram confusos  com as fotos, até que no início da manhã deste sábado, o Conselho Federal da OAB/AP emitiu a seguinte nota no site da instituição.

A nota, assinada pelo presidente nacional da OAB, Marcos Vinícius Furtado Coelho, classificou a invasão da sede da OAB e a suposta posse da chapa de Ulisses como “postura incompatível com o que se espera de dirigentes de Ordem… em nítido desrespeito à vontade dos advogados do Estado e em manifesta afronta a decisão da OAB Nacional que reconheceu a legalidade da vitória da chapa encabeçada pelo presidente reeleito, Paulo Campelo”.

Ulisses Trasel posa para foto após “posse”: Foto: Reprodução Facebook

Ulisses Trasel posa para foto após “posse”: Foto: Reprodução Facebook

 “Apenas uma chapa deve tomar posse na seccional.  As instâncias da OAB definiram que a chapa mais votada deve ser a empossada”, finalizou.

A chapa de Ulisses também rebateu a nota oficial do Colégio de Presidentes, afirmando que o próprio Conselho Federal suspendeu os trabalhos da comissão eleitoral para esperar a conclusão de um inquérito da Polícia Federal.

Paulo Campelo foi eleito com 633 a 607

Paulo Campelo foi eleito com 633 a 607

“Ocorre que o referido inquérito foi concluído no dia 18/12, portanto, as liminares perderam seus efeitos pelo que foi restabelecida a decisão da comissão eleitoral que deu a vitória a chapa 01 (Trasel)”.

“Cumpre esclarecer que quando foi expedido o ofício pelo presidente do Conselho Federal, onde consta que a chapa 2 que deve ser empossada, ele não tinha conhecimento da conclusão do inquérito da perda dos efeitos das decisões liminares”

No sábado, 2, teve mais confusão; O grupo de Ulisses tentou entrar na Caixa de Assistência dos Advogados da OAB/AP, localizada na Avenida Procópio Rola, no Centro. Mas um grupo de advogados pertencentes à chapa 02 não permitiu e mais um registro foi feito na PF.

A posse oficial de Paulo Campelo está marcada para esta segunda-feira, 4. Na oportunidade, o presidente nacional da OAB, Marcus Vinicius, já confirmou presença.

 

Compartilhamentos