Compartilhamentos

ANDRÉ SILVA

O Tribunal de Justiça do Amapá (Tjap) decidiu unir forças com a sociedade no combate ao mosquito aedes aegypti, transmissor da dengue, chikungunha e o zika vírus. A ideia, segundo a presidente do tribunal, desembargadora Sueli Pini, é multiplicar o número de pessoas comprometidas na guerra contra o inseto.

“Não podemos dar trégua ao mosquito. Temos mais de dois mil colaboradores e esperamos alcançar um número de cinco a seis mil pessoas.  Além de colaborar com a campanha que o estado e municípios estão fazendo,  nós queremos aprimorar a nossa campanha interna”, justificou a desembargadora.

Presidente do Tjap, desembargadora Sueli Pini: incentivem seus vizinhos. Foto: arquivo

Presidente do Tjap, desembargadora Sueli Pini: incentivem seus vizinhos. Foto: arquivo

As notificações de dengue no Amapá chegaram 3.132 casos com 16 casos graves e 2 óbitos em 2015. Os de chikungunya em Macapá chegaram a 151 suspeitas e em Santana 24 casos.

Até o dia 21 de novembro de 2015, foram notificados no Brasil 739 suspeitas de pessoas infectadas pelo zika. Os mais afetados são os bebês em formação. O vírus causa a microcefalia que é a diminuição do cérebro do bebê.

A presidente espera que os servidores possam aderir à campanha com toda a força.

“Queremos pedir o apoio de todos os colaboradores do tribunal. Mantenham seus quintais e ajudem na disseminação das informações de combate ao mosquito e incentivem seus vizinhos”, apelou a presidente.

Compartilhamentos