Compartilhamentos

CÁSSIA LIMA

Na manhã desta sexta-feira, 19, o banheiro que nunca foi usado no entorno da Fortaleza de São José de Macapá, em frente ao Banco do Brasil, no Centro, voltou a acumular água e lixo criando um ambiente propício para a proliferação do Aedes aegypti. As bombas que faziam drenagem da água foram retiradas do local.

O espaço estava recebendo drenagem da água acumulada da chuva e do canal por meio de uma bomba instalada pela Secretaria de Cultura do Estado (Secult) no dia 17. De acordo com os técnicos, o serviço seria permanente.

Lixo jogado pelos próprios visitantes piora cenário. Fotos: Cássia Lima

Lixo jogado pelos próprios visitantes piora cenário. Fotos: Cássia Lima

“Assim que secaram a água acumulada, as bombas foram retiradas. Desde ontem, devido à chuva, começou a encher de água de novo. E o pior, muitos visitantes da Fortaleza não preservam o local e jogam lixo. Agora tá assim, uma verdadeira lixeira entupida”, destacou um funcionário do banco que não quis ser identificado.

Bomba colocada na semana passada foram retiradas no local

Bomba colocada na semana passada foram retiradas no local

A estrutura do banheiro já é antiga e fica bem ao lado da Fortaleza, um dos pontos turísticos mais visitados do Amapá. Pela manhã, o local estava cheio de garrafas, copos e sacolas plásticas. Segundo técnicos, o problema é ocasionado porque a estrutura está abaixo do nível da rua e não possui sistema de escoamento de água.

Moradores do Centro dizem que nos últimos 10 anos, o lugar foi apenas local de água parada, uma situação que sempre se agrava durante as chuvas. Moradores próximos do local pedem que o espaço seja transformado em um posto da Polícia Militar.

A Secretaria de Cultura, que é responsável pela gerência do monumento e do banheiro, informou apenas que tomará providências sobre o retorno do problema, sem explicar o que será feito.

Compartilhamentos