Compartilhamentos

DA REDAÇÃO

A Delegacia Especializada em Crimes Contra o Patrimônio (DECCP) prendeu na manhã desta sexta-feira, 19, Ailton de Jesus Gouveia Duarte, o “Bebê”. Ele é acusado de assaltar um mercantil no fim do ano passado, mas coleciona também uma extensa ficha criminal que inclui 18 apresentações em delegacias de polícia pelos mais diversos crimes.

Bebê morava no Conjunto Mucajá, no Bairro do Beirol. O apartamento da mãe dele chegou a ser o incendiado por bandidos de uma gangue com a qual ele tinha rivalidade.  

Bebê foi chamado pelo apelido na hora do assalto. Foto? Arquivo polcial

Bebê foi chamado pelo apelido na hora do assalto. Foto: Arquivo policial

Ontem a noite, a Polícia Civil ficou sabendo da localização dele e conseguiu mandado de prisão. O acusado estava escondido em uma casa atrás da sede da Unidade de Policiamento Comunitário (UPC) do Bairro do Araxá, na Zona Sul de Macapá.

“Estava escondido bem próximo da polícia que era pra ficar de olho”, avalia o delegado de Crimes Contra o Patrimônio, Glemerson Arandes.

Delegado Glemerson Arandes, da DECCP: esconderijoj estratégico

Delegado Glemerson Arandes, da DECCP: esconderijo estratégico

No dia 5 de dezembro de 2015, dois homens chegaram em uma moto e invadiram o estabelecimento comercial. Um desceu primeiro e depois chamou o outro que ficou do lado de fora para ajudar. Seria Bebê. Eles fugiram levando dinheiro e os celulares dos clientes e funcionários do estabelecimento.

Mas houve uma falha. Na hora do roubo, o comparsa chamou Ailton pelo apelido, e essa informação foi repassada pelas testemunhas à polícia.

“Depois disso acabamos recuperando vários roubados com parentes dele”, informou o delegado. Neste momento Bebê está sendo interrogado. Os policiais querem saber quem é o comparsa dele que até agora continua solto. 

Compartilhamentos