Compartilhamentos

 

DA REDAÇÃO

O governador do Amapá, Waldez Góes (PDT), passou os últimos dois dias em Brasília numa verdadeira peregrinação ministerial. Numa das agendas, no Ministério da Saúde, ele pediu mais investimentos em atendimentos de alta e média complexidade na rede pública do Estado.

Em uma reunião na Secretaria Nacional de Alta e Média Complexidade, Waldez disse que o Amapá voltou a receber o mesmo montante de 10 anos atrás numa realidade hoje totalmente diferente, o que afeta, principalmente, o fornecimento de medicamentos oncológicos e para doenças crônicas.

Waldez foi acompanhado pelos deputados Vinícius Gurgel (PR) e Marcivânia Flexa (PT)

Waldez foi acompanhado pelos deputados Vinícius Gurgel (PR) e Marcivânia Flexa (PT). Fotos: Secom

“O Amapá tem sido prejudicado na distribuição de recursos. Em dezembro de 2015, passamos a receber apenas R$ 4,7 milhões ao mês para média e alta complexidade, sendo que este tipo de atendimento se concentra sob a gestão do Estado”, argumentou ele pedindo uma análise da situação.

O governador também pediu que seja editada uma portaria permitindo ao Amapá aplicar R$ 11 milhões no combate ao aedes aegypti. Uma das principais preocupações é com os casos de zikavírus na Guiana Francesa.

“Para reforçar a campanha precisamos de urgência na publicação da portaria flexibilizando o uso dos recursos”, ressaltou Waldez, dando ênfase também para o alerta recebido da Guiana Francesa de um possível surto de Zica Vírus. 

O governador Waldez Góes informou que o Amapá vai inaugurar oito unidades do SAMU e a Central de Regulação no Amapá, mas que precisa de ambulâncias equipadas.

“Estamos com quase todas as unidades prontas, mas precisamos das ambulâncias com equipamentos que são custeados pelo Ministério da Saúde. Só assim vamos poder iniciar o atendimento aos municípios”.

Compartilhamentos