Compartilhamentos

DA REDAÇÃO

O trabalho de fiscalização da Companhia de Trânsito e Transportes de Macapá (CTMac) terminou em tumulto, prisão e uma viatura da companhia teve o para-brisa quebrado.

O episódio ocorreu no Bairro das Pedrinhas, Zona Sul de Macapá, quando fiscais tentaram recolher uma mototáxi clandestina que estava estacionada em cima de uma calçada. Quando viu a aproximação da equipe, o dono da moto teria entrado em um mercantil e tirou o uniforme de mototaxista clandestino.

Houve discussão entre ele e os fiscais. Algumas pessoas começaram a incitar a população contra a equipe na medida em que curiosos se aproximavam para ver o que acontecia. Os fiscais ficaram acuados. 

Para-brisa foi quebrado com uma pá. Fotos: Olho de Boto

Para-brisa foi quebrado com uma pá. Fotos: Olho de Boto

Um homem que seria irmão do mototaxista clandestino entrou no comércio e achou uma pá. Ele se aproximou da viatura e atingiu o para-brisa que quebrou. Ele fugiu logo em seguida.

A confusão só terminou com a chegada de uma guarnição da Guarda Civil que apresentou o dono da moto no Ciosp do Pacoval por desacato.

A presidente da CTMac, Cristina Baddini, informou que as equipes de fiscalização do transporte clandestino têm passado por situações complicadas.

Equipe da Guarda Civil que conduziu o mototaxista para a delegacia de polícia

Equipe da Guarda Civil que conduziu o mototaxista para a delegacia de polícia

“De janeiro até agora apreendemos 160 motos clandestinas e cerca de 50 veículos de lotação. Muitos desses mototaxistas são criminosos que saem do Iapen (em regime de semi-liberdade) para fazer serviço de mototáxi. A Delegacia de Mulheres diz que 30% dos estupros no ano passado foram cometidos por mototaxistas clandestinos. A população tem que ajudar não usando esse serviço”, disse ela. 

Compartilhamentos