Compartilhamentos

DA REDAÇÃO

Uma abordagem de rotina na noite do último sábado, 13, terminou em perseguição pelas ruas do município de Santana e com cenas de espancamento de um motorista. As agressões foram desferidas por policiais do Batalhão de Policiamento Rodoviário Estadual (BPRE) e filmadas por uma câmera de segurança.

A confusão começou por volta das 20h30min quando policiais do BPRE desconfiaram de um carro peliculado na Avenida Cláudio Lúcio Monteiro, na Baixada do Ambrósio. O motorista Ofir Sadala recebeu ordem de parada e obedeceu.

Mas quando os policiais desembarcavam da viatura para averiguar, o motorista arrancou. Começava então uma perigosa perseguição que por pouco não terminou em tragédia. Uma moradora relatou no Facebook que quase foi atropelada pelo carro em fuga. Um dos policiais chegou a atirar contra o veículo que mesmo assim não parou.

A perseguição terminou às 21h, em frente à residência de Sadala, no Bairro Hospitalidade, onde existe uma câmera de segurança. As imagens mostram quando os policiais desembarcam da viatura e uma deles aponta a arma para o motorista que não sai de dentro do carro. O PM se aproxima, abre a porta e agride o motorista.

O segundo policial surge e parece algemar o Sadala. Um terceiro PM se aproxima e é o que mais agride. São muitos socos e chutes no motorista que continua sentado, mas que no final acabada sendo retirado de dentro do carro e levado para a viatura.

Depois disso, os policiais gravaram dois vídeos. Em um deles o empresário Ofirney Sadala, pai de Ofir, propõe um acordo com os policiais para que tudo fosse resolvido ali mesmo, sem necessidade do filho ser levado para a delegacia de polícia. Ele não é atendido.

O segundo vídeo mostra o empresário na sacada de sua residência xingando os policiais e fazendo ameaças. O empresário divulgou uma nota reconhecendo que o filho (que não é habilitado), cometeu um erro.

 “Foi algemado, espancado, deram coronhadas em sua cabeça e sequência de socos em seu rosto, chutes, além de jogá-lo no chão e pisar no pescoço dele. Esse não é o procedimento legal. Estou chocado com o que aconteceu. Vou em busca da punição aos excessos”, disse o empresário.

O comandante do BPRE, capitão Rondinele Marques, disse que conversou com os policiais e admitiu que houve excessos.

Policial chuta o motorista

Policial chuta o motorista

“A imagem fala por si só. Estava tudo correto até o momento da abordagem quando saiu do controle”, observou. “Os policiais vão responder pelo excesso e o senhor Ofirney Sadala pelas ofensas, já que os policiais devem representar contra ele”, acrescentou.

Os policiais justificaram o tiro dizendo que tentaram atingir o pneu do veículo, já que ele oferecia risco de morte para pedestres. 

O caso será encaminhado nesta segunda-feira 15, à Corregedoria da PM que deve se pronunciar em 20 dias. Os policiais serão afastados das ruas e cumprirão tarefas administrativas na sede do batalhão até a conclusão do inquérito.

Ofir Sadala foi apresentado na 1ª Delegacia de Polícia do Igarapé da Fortaleza, onde foi autuado direção perigosa, dirigir sem habilitação, desobediência e excesso de velocidade.

Compartilhamentos