Compartilhamentos

DA REDAÇÃO

O início do ano letivo das escolas municipais da capital do Amapá foi marcado pelo lançamento de uma campanha de combate ao mosquito Aedes aegypti.

A PMM abriu mais 60 salas de aulas em toda a rede. O número de alunos matriculados subiu de 32 mil para 38 mil, obrigando a prefeitura a reformar e ampliar os espaços.

O prefeito de Macapá, Clécio Luís, acompanhou o início das aulas em cinco escolas, mas em todas houve programações especiais mobilizando os alunos contra o mosquito e à preocupação com o meio ambiente.

Luziane e Raysa: bem atendidos. Fotos: Saulo Silva

Luziane e Raysa: bem atendidos. Fotos: Saulo Silva

“Queremos formar cidadãos mais conscientes, e esse trabalho deve iniciar pelas nossas crianças, que, junto com suas famílias, cuidarão cada vez melhor da nossa cidade por meio de atitudes mais responsáveis e solidárias no dia a dia”, justificou o prefeito.

O nome da campanha “Macapá mais bonita, sem dengue, sem zika!” começou pela Escola Municipal de Ensino Infantil Moranguinho, no Bairro dos Congós.

Prefeito de Macapá, Clécio Luís, acompanhou o início do ano letivo em cinco escolas

Prefeito de Macapá, Clécio Luís, acompanhou o início do ano letivo em cinco escolas

Uma pequena peça teatral mostrou às crianças como se prevenir das doenças transmitidas pelo mosquito. A escola vai atender este ano 532 alunos.

“A escola ficou bonita e os funcionários nos receberam tão bem. Tenho certeza que minha filha será bem tratada e aprenderá bastante aqui”, disse conte a dona de casa, Luziane Serrão, mãe de uma aluna de quatro anos.

Também houve programação especial na Escola de Ensino Fundamental Wilson Malcher, no Bairro Jardim Equatorial, onde mais de 1 mil alunos estão matriculados.

Alunos receberam uma palestra sobre a importância de manter a escola limpa e também sobre os cuidados com o mosquito.

A campanha ainda contará com a participação de servidores das secretarias de Educação, Meio Ambiente, Saúde e Meio Ambiente e Sesc.

Uma pequena peça teatral falou do mosquito mais temido da atualidade

Uma pequena peça teatral falou do mosquito mais temido da atualidade

“Vamos sensibilizar os estudantes para que sejam multiplicadores de informações e incentivem os cuidados em suas residências, a exemplo da remoção do lixo e limpeza dos locais que acumulam água”, disse a diretora da Wilson Malcher, Dani Castelo.

Os estudantes ainda receberam orientações sobre higiene bucal com representantes da Associação Brasileira de Odontologia (ABO) e participação de atividades como contação de histórias, palestras e exposições.

Compartilhamentos