Compartilhamentos

ANDRÉ SILVA

Policiais do 2º Batalhão da Polícia Militar descobriram um esconderijo usado por criminosos no conjunto Macapaba, na Zona Norte de Macapá. O local é uma casa que está abandonada desde o ano passado. Dentro do imóvel existem várias pichações, entre elas a frase “matadores de polícia”. 

A casa fica no bloco 5 do conjunto que faz parte do programa Minha Casa, Minha vida,  entregue pelo governo federal em 2014. Ela está completamente depredada.  Os vidros das janelas estão quebrados e dentro existem várias pichações com mensagens de ódio à policia.

LIvros queimados e colchão na residência. Fotos: André Silva

Jornais e revistas queimados, além de colchão na residência. Fotos: André Silva

As expressões “matadores de polícia”, “homicida”, “vida loka” e a sigla PCM, que os policiais acreditam que queira dizer “primeiro comando do Macapaba”, estão escritas nas paredes. Além das palavras , há números que configuram os crimes cometidos pelos infratores, como “157” (roubo), “121” (homicídio). Um colchão velho e uma geladeira sem funcionamento também estão na residência.

Vizinhos que não quiseram se identificar, disseram que constantemente sentiam cheiro da fumaça provocada pelo consumo de drogas no local e muito barulho durante a noite.

Famílias estão abandonando os imóveis

Famílias estão abandonando os imóveis

“Durante o patrulhamento no local, nossos policiais avistaram essa casa que estava depredada e resolveram olhar para ver se tinha algo de errado e encontraram as pichações e o local totalmente deteriorados. Os policiais logo perceberam que aquele local servia de ponto de encontro para bandidos da área”, disse o comandante do 2º BPM, tenente-coronel Josias Carvalho.

O comandante conta que o problema não está apenas naquela casa. Ele diz que traficantes se estabeleceram no conjunto e que, por falta de mandados, não pode fazer incursões nos blocos por se tratar de propriedade particular.

Vidros quebrados e pichações

Vidros quebrados

“Três síndicos do conjunto me procuraram e disseram que existem pessoas desistindo de morar ali por conta de problemas pontuais. Eles dizem que muitas pessoas desistiram de ficar nos apartamentos por que dentro dos blocos é quase impossível da polícia entrar, por que nossa ronda é ostensiva, na rua, e os blocos são propriedade particular”, relatou.

Tenente-coronel Josias Carvalho: incursões nos blocos só com ordem da Justiça

Tenente-coronel Josias Carvalho, comando do 2 BPM: incursões nos blocos só com ordem da Justiça

Apesar disso, o comandante ressaltou o trabalho da polícia na Zona Norte. De acordo com o departamento de estatística da PM, o índice de violência na região em comparação ao ano passado teve uma redução de 7,03%.

Compartilhamentos