Compartilhamentos

 

SELES NAFES

A Polícia Civil de Oiapoque mais uma vez esbarrou com um caso de crime sexual grotesco. Desta vez um homem de 22 anos foi preso acusado de estuprar a enteada de 9 anos e a filha de apenas dois anos. A prisão ocorreu dentro da delegacia enquanto a mãe das meninas denunciava o fato à polícia.

A mãe das vítimas, de 25 anos, está separada do acusado há apenas 3 semanas. O casal viveu junto durante quatro anos, e há um ano os abusos teriam começado.

Na tarde desta terça-feira, 29, a mãe foi até a delegacia e o ex-marido apareceu enquanto ela registrava a queixa. A dona de casa informou ao delegado Charles Corrêa que ela havia sido intimidada pelo acusado na recepção do Ciosp. Ele recebeu voz de prisão imediatamente.

“Fomos à casa dela e apanhamos a menina de 9 anos e uma prima de 11 anos que é testemunha. Ela diz que viu o abusador praticando sexo oral da menina de 9 anos há apenas dois meses. A menina também disse que era estuprada todos os dias”, contou o delegado.

Uma psicóloga foi chamada para acompanhar os depoimentos das crianças com o  objetivo de saber se elas estavam falando a verdade.  Depois disso as meninas foram submetidas a exames médicos.

“Fomos à médica que constatou que a menor de 9 anos sofreu coito anal e tinha cicatrizes no hímen”, comentou Corrêa.  

Durante a investigação surgiu outra revelação. A enteada disse que o padrasto tinha o costume de se trancar num quarto com a menor de dois anos e não deixava ninguém entrar.

“Nós desconfiamos e não deu outra. O exame de conjunção carnal atestou que a menorzinha também era estuprada”, acrescentou o delegado.

O acusado, que é ex-lutador de MMA, não teve o nome divulgado pela polícia. Ele negou as agressões. Mesmo assim foi autuado em flagrante e encaminhado para o mini-presídio onde aguardará audiência de custódia.

Foto cedida pela PC de Oiapoque

Compartilhamentos