Compartilhamentos

DA REDAÇÃO

O deputado federal do Amapá, Vinícius Gurgel (PR-AP), está no centro do mais novo escândalo político envolvendo o presidente da Câmara, Eduardo Cunha (PMDB-RJ). Segundo o jornal Folha de São Paulo, a carta onde Gurgel renuncia ao cargo no Conselho de Ética (numa manobra para ajudar Cunha), tem uma assinatura falsa.  A Folha encomendou dois lados com grafotécnicos diferentes, e diz que a assinatura é uma falsificação “grosseira” e “primária”.

Cunha sofreu uma derrota na madrugada do dia 2 de março, quando o Conselho de Ética aprovou por 11 votos a 10 a continuidade do processo contra ele por quebra de coro ao esconder que tinha contas na Suíça. Vinícius, que é aliado de Cunha, faltou à sessão.

O suplente de Gurgel no conselho é do PT, e os aliados de Cunha queriam impedir que ele votasse. Por isso foi necessário que Vinícius renunciasse ao cargo para que um novo aliado fosse indicado para votar a favor de Cunha.

O presidente da Câmara chegou a prolongar a sessão no plenário até às 23h dando tempo para que a manobra de substituição fosse concluída. A carta de renúncia de Vinícius Gurgel foi protocolada, e o indicado para substituir o deputado amapaense foi Maurício Quintella Lessa (AL), que votou a favor de Cunha, e mesmo assim houve a derrota por 11 a 10.

O jornal Folha de São Paulo encaminhou a carta de renúncia junto com 3 assinaturas reconhecidas de Gurgel para análise grafotécnica no Instituto Del Picchia, de São Paulo. O laudo diz que a assinatura tem características típicas de “imitação lenta”. O mesmo concluíram outros dois peritos.  

O deputado Vinícius Gurgel disse à Folha que estava fora de Brasília na madrugada da votação e que costuma deixar vários documentos em branco assinados em seu gabinete.  E se a letra estava diferente foi por que assinou de ressaca.

“Se eu assinei com pressa, se eu tava de porre, se eu tava de ressaca, se eu assinei com letra diferente, não vou ficar me batendo com isso”, disse à reportagem.

Ele disse ainda que não quer ver os laudos. Veja a reportagem completa no link abaixo.

http://www1.folha.uol.com.br/poder/2016/03/1747852-assinatura-falsa-foi-utilizada-contra-processo-de-cassacao-de-cunha.shtml

Compartilhamentos