Compartilhamentos

ANDRÉ SILVA

As escolas públicas do Amapá começaram o ano letivo na manhã desta segunda-feira, 14, mas só devem normalizar a partir da semana que vem depois da paralisação nacional da categoria. O movimento começa nesta terça-feira, 15, e vai durar três dias. 

Nesta segunda, os alunos estavam animados e passaram parte da manhã conversando sobre as experiências das férias. A aluna Ingrid Carvalho (na foto de capa à esquerda), de 16 anos, está no terceiro ano do ensino médio da Escola Estadual Gabriel de Almeida Café, o antigo CCA. Ela diz que não aguentava ficar mais em casa. 

No CCA, alunos conversaram bastante sobre as férias. Fotos: André Silva

No CCA, alunos conversaram bastante sobre as férias. Fotos: André Silva

“Não estava com saudades de todos, só dos amigos. Não aguentava mais o tédio que é ficar em casa. Eu espero que esse ano as coisas melhorem na escola. Ano passado tinha muita briga entre alunos e isso é muito chato”, disse.

O diretor da escola, Mai Sarraf, informou que o dia foi preparado para que o aluno conheça melhor a escola e reveja seus amigos. Ele explica que a escola já trabalha com o ensino técnico integrado, e agora vai atuar com a Educação de Jovens e Adultos (EJA). Serão quatro turmas de primeira etapa e cinco de segunda etapa. A escola atende hoje 2,4 mil alunos. Desses 900, são novos.

Seed diz que escolas estão abastecidas com merenda, mas ainda faltam professores

Seed diz que escolas estão abastecidas com merenda, mas ainda faltam professores

“A escola passou por um processo de melhoria em sua estrutura física, teve suas salas melhoradas e construímos uma passarela usando recursos próprios. Hoje nós estamos fazendo uma parte motivacional com as turmas. As aulas serão retomadas na sexta-feira, 18, devido à paralisação nacional. Os professores decidiram aderir à paralisação nacional e nós iremos seguir esse entendimento”, informa o diretor.

As aulas começaram em 405 escolas estaduais. Segundo a Secretaria de Educação do Estado (Seed), faltam professores em escolas da zona rural. Ao todo, 160 mil alunos estão matriculados para 2016.

Compartilhamentos