Compartilhamentos

ANDRÉ SILVA

Mães servidoras, advogadas ou visitantes ganharam no Dia Internacional da Mulher uma sala de amamentação com um fraudário dentro do Fórum Desembargador Benedito Antônio Leal de Mira, no Centro de Macapá. O espaço foi entregue na manhã desta terça-feira, 8, pelo Tribunal de Justiça e a Ordem dos Advogados do Brasil, que teve a iniciativa de propor a criação do espaço.

A sala tem espaço para uma mãe de cada vez. Ela dispõe de um frigobar, central de ar e uma poltrona bem confortável para que a mãe possa relaxar e alimentar seu filho com calma.

A coordenadora do Banco de Leite da Maternidade Mãe Luzia, Andréa Marvão, disse que a sala servirá também como um ponto de coleta de leite.

Sala tem todo conforto para as mães cuidarem dos bebês. Fotos: André Silva

Sala tem todo conforto para as mães cuidarem dos bebês. Fotos: André Silva

“Se por ventura a serventuária ou advogada não estiver com seu bebê e quiser esvaziar um pouco os seios ela poderá fazer a retirada do leite. Eles estão adaptando um espaço para acondicionar esse leite, e toda vez que uma mãe fizer a coleta, nós passaremos para apanhar”, explicou a coordenadora.

“A criação da sala partiu do princípio da necessidade que as advogadas tinham de amamentar no exercício da atividade profissional. Aqui no fórum nós não tínhamos um espaço adequado para a amamentação. Por isso nós buscamos junto ao Tribunal de Justiça que prontamente nos cedeu o espaço e colocou toda a sua equipe de engenharia e arquitetura para nos auxiliar. Nós entramos com os equipamentos necessários para montagem da sala”, explica o presidente da OAB, Paulo Campelo.

Coordenadora do Banco de Leite, Andréa Marvão: local também será ponto de coleta

Coordenadora do Banco de Leite, Andréa Marvão: local também será ponto de coleta

O presidente informou que existe uma determinação de que todos os logradouros públicos disponibilizem um espaço adequado para que as mães possam alimentar seus filhos. Ele conta que a amamentação em público não é proibida, mas o Ministério da Saúde não aconselha que a mãe amamente em qualquer lugar para se evitar a contaminação por bactérias provenientes do espaço onde ela se encontra.

Monique Leão Dias, de 18 anos (foto de capa), foi a primeira mulher a usar a sala. Ela é mãe da Maria Júlia, que tem um mês de idade.

Presidente da OAB, Paulo Campo: iniciativa nasceu da necessidade de advogadas que estavam amamentando

Presidente da OAB, Paulo Campelo: iniciativa nasceu da necessidade de advogadas que estavam amamentando

“A sensação de alimentar é muito especial e emocionante. Toda vez que vou amamentar meu filho sinto que estou fazendo algo muito especial. Macapá precisa de mais espaços como esse. As vezes a gente fica com vergonha de amamentar em qualquer lugar. As pessoas passam e ficam olhando”, criticou Monique.

O espaço funciona no primeiro andar do prédio, próximo à Sala de Conciliação.

Compartilhamentos