Compartilhamentos

HUMBERTO BAÍA, DE OIAPOQUE

Vários trechos da BR-156 na região Norte do Amapá começam a apresentar problemas por causa das chuvas e a falta de conservação. O perímetro entre Vila do Carnot (município de Calçoene) e Oiapoque é o mais prejudicado.

O trecho não tem cobertura asfáltica e recebe um intenso tráfego diário de caminhões e ônibus. Sem a manutenção adequada, os buracos rapidamente se transformam e atoleiros, um verdadeiro pesadelo para os viajantes.

Passageiros improvisaram para ter o máximo de segurança. Fotos: Ulisses Alves

Passageiros improvisaram para ter o máximo de segurança. Fotos: Ulisses Alves

Esta semana o Site SELESNAES.COM percorreu o trecho de Oiapoque até Calçoene e constatou que carros de passeio já passam com muita dificuldade. Os buracos são enormes. É grande o risco de furar o cárter do motor ou romper a mangueira do combustível,  fato que aconteceu no ano passado com um taxista. O veículo chegou a pegar fogo e foi completamente destruído.

Durante o trajeto, não foi possível ver nenhum tipo de serviço de manutenção sendo realizado ao longo da BR. Também é visível o desgaste de várias pontes. Algumas estão sendo sustentadas por apenas uma viga. Em outras faltam tábuas.

Uma das dezenas de pontes entre Calçoene e Oiao

Uma das dezenas de pontes entre Calçoene e Oiapoque

Na última sexta-feira, 11, um motorista que faz o transporte de pessoas documentou a luta de passageiros dos ônibus e vans particulares para transpor uma ponte a 90 quilômetros de Oiapoque.

Passageiros e motoristas se mobilizaram improvisando algumas tábuas que permitiram a passagem arriscada dos veículos.

Espera na fila leva horas. Foto: Dijones Dias

Foto tirada neste sábado, 12. Espera na fila leva horas. Foto: Dijones Dias

O trecho entre Calçoene e Oiapoque é responsabilidade da Secretaria de Transportes do Estado (Setrap). O site não conseguiu conversar com o secretário de Transportes do Estado, Jorge Amanajás. 

Compartilhamentos