Compartilhamentos

SELES NAFES

A Polícia Civil de Oiapoque prendeu três homens acusados de furtar casas inteiras. É isso mesmo. Segundo a polícia, eles ‘desmanchavam’ as residências para levar tudo: portas, janelas, madeira e o telhado, até sobrar apenas o terreno vazio.

A Polícia Civil começou a investigar os criminosos no dia 4 de abril, quando uma vítima procurou o Ciosp para registrar ocorrência.

Na última quinta-feira, 21, a vítima voltou ao Ciosp para prestar depoimento. A residência era uma casa de veraneio que existia havia mais de 40 anos nas margens do Rio Oiapoque, próximo da comunidade de Vila Vitória.

Irmãos acusados de desmanchar as casas de veraneio. Teriam sido pelo menos 4

Irmãos acusados de desmanchar as casas de veraneio. Teriam sido pelo menos 4

“Era uma casa de grande valor sentimental para a família, por que lá morava o patriarca e a casa sempre era revitalizada a cada 10 anos. Os parentes sempre iam passar os fins de semana no local”, explicou o delegado Charles Corrêa, da Polícia Civil de Oiapoque.

No sábado, 23, os policiais foram até o local onde ficava a residência atrás de uma pista que pudesse levar aos criminosos. Ribeirinhos questionados pela polícia informaram a casa onde moravam os suspeitos, todos irmãos.  

 

“Chegamos na casa e o pai dos rapazes nos deixou entrar. Ele informou que os filhos não estavam, que tinham ido na direção do oceano buscar madeira. Achamos 11 munições calibre 16, reforçando a informação que a gente tinha que esse bando andava armado”, comentou o delegado.

Antes....

Antes….

...e depois

…e depois

Os policiais resolveram fazer campana em um trecho do rio por onde os irmãos teriam necessariamente que passar para voltar para casa. Por volta das 13h, os suspeitos apareceram em duas voadeiras, e receberam voz de prisão dos policiais. Dentro de uma das embarcações havia mais madeira suspeita.

Na delegacia de polícia, todos foram reconhecidos por ribeirinhos como os homens que haviam feito o desmanche da casa. Uma segunda vítima, proprietária de outra casa de fim de semana, apareceu na delegacia para registrar queixa contra o grupo.

A Polícia Civil já identificou outras duas vítimas que moram em Macapá e que possuíam casas de veraneio em Oiapoque também desmanchadas pelo grupo. Os criminosos agiam havia pelo menos 4 meses.

Todos foram autuados por associação criminosa, furto e posse de munição.

Compartilhamentos