Compartilhamentos

SELES NAFES

A Secretaria de Saúde do Estado (Sesa) investiga se dois casos de microcefalia no Amapá estão relacionados ao vírus zika. As crianças nasceram na capital. A Sesa pediu esta semana que o governo federal ajude a conter o vírus na cidade de Oiapoque, a 600 quilômetros de Macapá, onde novos casos de zika já foram confirmados.

Os registros apareceram em um levantamento recente feito pela Sesa a pedido do Ministério da Saúde que queria investigar casos de microcefalia no país nos últimos 3 anos, data provável de entrada do vírus no Brasil.

Sesa prevê que casos de microcefalia relacionados ao zika ocorrem no segundo semestre

Sesa prevê que casos de microcefalia relacionados ao zika ocorrem no segundo semestre

“Não se pode dizer que esses dois casos são relacionados ao zika. Esses dois casos surgiram de um processo de investigação, e não de notificação. Temos previsão de que é possível termos casos de microcefalia relacionados ao zika só no segundo semestre. Esperamos que essa previsão não se confirme”, ponderou a secretária de Saúde do Estado, Renilda Costa, que está em Brasília.

Renilda Costa e o governador Waldez Góes estão em Brasília onde se encontraram com o ministro da Saúde, Marcelo Castro. O Amapá quer apoio do governo federal fazer um bloqueio epidemiológico na cidade de Oiapoque, onde foi confirmado o primeiro caso de zika do Amapá, a exemplo do que aconteceu com o surto de chikungunya.

A primeira paciente com zika é uma jovem de 22 anos que fez o exame na Guiana Francesa. O laudo saiu em poucos dias atestando positivo para doença. A Vigilância em Saúde reconheceu que este foi o primeiro caso de zika gerado dentro do Amapá. A jovem passa bem.

“Queremos apoio para fazer esse bloqueio, e queremos um convênio com a Guiana para que o laboratório deles receba esses exames. O prazo no Instituto Evandro Chagas (PA) para divulgar o laudo é 60 dias, em Caiena são apenas 10 dias”, justifica a secretária.

A secretaria foi informada que novos casos de zika já foram confirmados em Oiapoque, mas os laudos estão sendo feitos pela Guiana Francesa. Dentro de alguns dias o Ministério da Saúde deve receber os dados da Guiana e confirmar oficialmente novos casos de zika em Oiapoque.

 

Compartilhamentos