Compartilhamentos

DA REDAÇÃO

No início da noite desta quarta-feira, 20, a defesa da deputada estadual Marília Góes (PDT) se posicionou sobre o resultado do julgamento no Tribunal Regional Eleitoral (TRE) que terminou com a condenação da parlamentar por compra de votos nas eleições de 2008. 

Em uma pequena nota, a defesa considerou o processo e o julgamento “nulos de pleno direito por não ter obedecido, dentre outros, o devido processo legal”.

Ainda de acordo com a nota, a deputada recorrerá da decisão “por absoluta convicção da conduta reta da parlamentar sempre pautada no estrito cumprimento das leis e da ética”.

Por fim, a defesa garantiu que a decisão do TRE não torna a parlamentar inelegível,”nem tampouco interrompe seu mandato conquistado legitimamente nas urnas e confiado pelo povo do Amapá”.

Compartilhamentos