Compartilhamentos

 

CÁSSIA LIMA

Segundo o Hemoap, muitas pessoas deixam de doar por motivo de viagem

De acordo com o hemocentro, muitas pessoas deixam de doar por motivo de viagem

Apesar do aumento do número de doadores de sangue no Amapá, a preocupação é frequente com o estoque do Instituto de Hematologia e Hemoterapia do Estado (Hemoap). O hemocentro recebe em média 60 doações diárias, mas o número não é suficiente para atender a demanda dos hospitais públicos e privados. Este mês o estoque está abaixo da média.

Segundo a enfermeira Michele Oliveira, da divisão de coleta de sangue, o Hemoap tem 70 mil doadores cadastrados, mas apenas 45 mil doam regularmente. Nos últimos meses aumentou o número de doações, mas destinadas a pacientes específicos.

“O mês está sendo atípico. Cerca de 70% dos doadores que passaram por aqui encaminharam o sangue para parentes e amigos que serão internados. Isso não ajuda no controle do estoque”, ressaltou a enfermeira.

Um exemplo de doação destinada é o de Lucas Gabriel, de 22 anos, que doou sangue para o próprio pai, José Pereira, de 66 anos. Ele será internado na próxima semana para uma cirurgia na próstata.

“Meu pai me pediu e vim doar. Eu gostei da sensação de ajudar alguém com algo que é do nosso próprio corpo. Venho mais vezes”, disse Lucas abraçado ao pai.

Izaelma seguiu o exemplo das irmãs e se tornou doadora de sangue

Izaelma seguiu o exemplo das irmãs e se tornou doadora de sangue

O Hemoap diz que alguns fatores contribuem para a queda no estoque de sangue, como por exemplo, o fato de que muitas pessoas deixam de doar por motivo de viagem. Esse é o caso inverso de Izaelma de Souza, de 33 anos.

“Minhas irmãs já são doadoras, mas elas foram morar em outro estado e coube a mim assumir a tarefa. Estava conversando com as enfermeiras e comprometi voltar para ajudar outras pessoas”, frisou a doadora de primeira viagem.

As bolsas de sangue têm prazo de validade de 42 dias. Para garantir o estoque dos fatores mais raros, isto é, os fatores de Rh negativo, a participação da família do paciente é necessária para repor a bolsa usada no processo cirúrgico e assim assegurar que o sangue não vai faltar. A consultora Carline Coutinho tem sangue B-.

Carline Coutinho tem sangue B-, considerado fator Rh raro

Carline Coutinho tem sangue B-, considerado fator Rh raro

“E uma coisa tão simples pra quem doa e imagino que faça uma diferença enorme para quem recebe. Sempre que posso venho aqui realizar este ato de amor”, comentou a consultora que doou sangue pela terceira vez.

Outro que não abre mão de doar sangue há 7 anos é o autônomo Josenilson Silva, de 42 anos. A cada três meses, ele religiosamente procura o Hemoap.

“Doar sangue é um ato de compartilhar de si mesmo com alguém que você ama sem nem conhecer. E quem sabe salvar uma vida ou ajudar na recuperação de alguém. Isso é gratificante”, ressaltou.

QUEM PODE DOAR

Podem doar sangue pessoas com boa saúde, que tenham entre 16 e 69 anos e pesem acima de 50 quilos. Menores de 18 anos podem doar somente com autorização dos pais ou responsável legal.  É necessário portar documento de identidade original e com foto. Não precisa estar em jejum e não pode ter ingerido bebida alcoólica 24 horas antes. O homem pode doar a cada dois meses e a mulher, a cada três meses.

É proibida a doação por pessoas portadoras de doenças infecciosas transmissíveis pelo sangue, como hepatites B e C, Aids (vírus HIV), doenças associadas aos vírus HTLV I e II e doença de chagas.

Hemoap

Hemocentro funciona no Centro da cidade

SERVIÇO
Centro de Hemoterapia do Amapá – Hemoap
Avenida Raimundo Álvares da Costa, S/N, Centro

Compartilhamentos