Compartilhamentos

HUMBERTO BAÍA, DE OIAPOQUE

De janeiro até agora as autoridades policiais do município de Oiapoque registraram 9 casos de estupros. É quase a quantidade registrada durante todo o ano de 2015, quando 11 casos de violência sexual foram confirmados.

O caso mais recente envolveu uma menina de 9 anos e outra de apenas dois anos. As duas, segundo a Polícia Civil, eram estupradas pelo pai da menina mais nova. Ele foi preso quando tentava intimidar a mãe no momento em que prestava queixa na delegacia de polícia.

Padastro Devan Pinheiro preso depois de 1 ano de abusos: Enteada ficou confusa

Padastro Devan Pinheiro preso depois de 1 ano de abusos: Enteada ficou confusa

A menina de 9 anos, que é enteada do agressor, estava tão confusa com tudo o que estava acontecendo (há pelo menos 1 ano) que pensava ser namorada do abusador, segundo confessou para a psicóloga da polícia que abordou o caso. Devan Gonçalves Pinheiro, de 22 anos, é ex-lutador de MMA e usuário de drogas.

A psicóloga Karen Leal diz que “por se tratar de uma fronteira fica muito difícil identificar esse tipo de caso que na maioria das vezes acaba não sendo denunciado” .

“Em todos os casos as crianças são deixadas sozinhas, e o agressor frequentemente é um parente da vítima que conhece os hábitos da família”, acrescenta ela.

Psicóloga Karen Leal: casos não denunciados

Psicóloga Karen Leal: casos não denunciados

A psicóloga também afirma que as crianças sofrem influências da programação imprópria da televisão.

Assistentes sociais do município e psicólogos estão reunidos para tentar achar uma forma de massificar informações que estimulem as pessoas a identificar e denunciar outros casos.  

Compartilhamentos