Compartilhamentos

DA REDAÇÃO

Em assembleia geral extraordinária no fim da tarde desta sexta-feira, 1º, os professores do Estado decidiram deflagrar greve por tempo indeterminado a partir da próxima terça-feira, 5. A paralisação é um protesto contra o parcelamento dos salários, falta de reajuste salarial e pela retomada das negociações. A categoria alega que o governo também desistiu de executar reformas anunciadas.

A assembleia foi realizada na quadra da Escola Estadual Azevedo Costa, no Bairro do Laguinho.  O comunicado com a decisão de iniciar a greve foi protocolado no Palácio do Setentrião por volta das 17h30min. Como é preciso obedecer um prazo de 72h, o início da greve foi marcado para o dia 5.

“Todas as medidas adotadas até agora pelo governo são ilegais”, acusou o presidente do sindicato, Aroldo Rabelo.

O sindicato espera a abertura de uma mesa de negociações a partir de abril, mas o Sindicato dos Servidores em Educação do Estado do Amapá (Sinsepeap) ainda não foi informado sobre o dia em que haverá a mesa com o governo.

Compartilhamentos