Compartilhamentos

CÁSSIA LIMA

No primeiro ato unificado, funcionários públicos de várias categorias protestaram com mordaças na boca na manhã desta sexta-feira, 8, na Avenida FAB, Centro de Macapá.

Os cerca de dois mil servidores protestaram mais uma vez contra o parcelamento dos salários e a decisão da Justiça que decreto ilegal a greve dos professores.

Segundo a União Sindical do Amapá, 30 categorias participaram do movimento que iniciou em frente à Secretaria de Estado do Planejamento (Seplan) e seguiu em direção a sede do governo do Amapá, no Palácio do Setentrião.

Servidores com tecido nos rostos simbolizando que estão amordaçados. Fotos: Cássia Lima

Alguns servidores usaram tecidos nos rostos simbolizando que estão amordaçados. Fotos: Cássia Lima

“Nós queremos que o governo esgote todas as possibilidades de diálogo para que depois parcele nossos salários. Não fomos chamados para dialogar em momento nenhum. Queremos a reabertura da mesa de negociação e mais respeito”, disse o professor Antônio Silva.

Os profissionais caminharam com um pedaço de pano amarrado no rosto representando uma “mordaça”. Para eles, o governo precisa dar exemplo de cortes para, por último, parcelar os salários.

Até as 13h, servidores continuavam no ato em frente à sede do governo.

Compartilhamentos