Compartilhamentos

SELES NAFES

O Sindicato dos Servidores em Educação do Amapá (Sinsepap) decidiu agora a pouco suspender a greve dos professores estaduais. Os profissionais devem retornar às salas de aula já nesta quarta-feira, 6.

O comando de greve passou horas reunido com a assessoria jurídica do Sinsepeap para avaliar a liminar da Justiça que considerou a greve ilegal no início da madrugada desta terça-feira, 5.

“Nem dá pra avaliar. Não existe motivo pelo governo e nem pelo Judiciário.  A gente fica perplexo de saber que existem pensamentos assim. Coisas que só acontecem na política e no Judiciário do Brasil”, criticou o presidente do Sinsepeap, Aroldo Rabelo.

Aroldo Rabelo, presidente do Sinsepeap: coisas do Brasil

Aroldo Rabelo, presidente do Sinsepeap: coisas do Brasil

A liminar foi deferida pelo juiz João Guilherme Lages por volta de meia-noite em ação movida pela Procuradoria Geral do Estado (PGE).

A PGE argumentou que a categoria não seguiu princípios constitucionais que norteiam o direito de greve, como o esgotamento das negociações, comprovação do quórum da assembleia e o mínimo de 30% para manter os serviços essenciais.

“Vamos suspender o movimento e recorrer da decisão”, anunciou Rabelo por volta das 16h50min.

Uma nova assembleia deverá ser marcada para o próximo fim de semana, mas o dia e o local ainda não foram definidos.

Dentro da diretoria existe uma corrente que defende que uma nova greve seja deflagrada, agora seguindo todo o argumento do Judiciário.

Compartilhamentos