Compartilhamentos

DA REDAÇÃO

A empresa Ferreira Gomes Energia divulgou nota se posicionando sobre o naufrágio que matou um pescador no último dia 30, no Rio Araguari, município de Ferreira Gomes, a 135 quilômetros de Macapá. A empresa afirma que está com as comportas abertas, mas que não fez nenhuma manobra anormal que representasse “alteração de vazão”. 

“Os vertedores encontram-se abertos em função da alta vazão neste período do ano e não houve qualquer manobra que importasse em alteração de vazão, desde as 17h do dia 30, até um período posterior de 24 (vinte e quatro) horas”, garante a empresa.

Carlos Correa, de 40 anos, estava pescando com o cunhado que sobreviveu à tragédia. Odiel Tavares, de 36 anos, contou que a canoa onde estavam foi sugada por um redemoinho provocado pela força súbita da água e foi arrastado pela correnteza durante cerca de 20 minutos até ser resgatado por alguém em terra. O cunhado desapareceu. O corpo de Carlos só foi encontrado quase 3 dias depois. 

Corpo de Carlos foi resgatado no dia 1º . Empresa diz que placas avisavam sobre perigo

Corpo de Carlos foi resgatado no dia 1º . Empresa diz que placas avisavam sobre perigo

O sobrevivente disse que estavam pescando  debaixo da ponte Tancredo Neves, a cerca de 1 quilômetro da barragem, e culpou a força da água liberada pela hidrelétrica como a causa da tragédia. 

“Destacamos também a existência placas de sinalização advertindo sobre a proibição de aproximação da zona de segurança da usina, de certo que sempre que são verificadas invasões, as mesmas são prontamente reportadas à polícia e os invasores são compelidos a se retirar”, diz a empresa.

Ainda na nota empresa prestou condolências à família da vítima.

 

Compartilhamentos