Compartilhamentos

CÁSSIA LIMA

A direção do Colégio Amapaense divulgou na manhã dessa segunda-feira, 23, que irá transferir ainda esta semana, o aluno Douglas Santana da Silva, 18 anos, acusado de espancar um vigia da escola na última semana. Segundo colegas, o aluno é muito agressivo e de temperamento forte.

O ato de violência ocorreu dentro da escola, na última sexta-feira, 20, e foi gravado pelo sistema interno de monitoramento do colégio. Segundo testemunhas, o vigia teria feito um comentário sobre o cabelo da namorada do agressor. Douglas foi tirar satisfação.

Vigia é socorrido por professores e alunos. Foto: Reprodução

Vigia é socorrido por professores e alunos. Foto: Reprodução

“Ele já chegou perto do vigia gritando e xingando muito. O cara [vigia] só se afastava e pedia pra ele se acalmar. De repente, no meio da gritaria, o Douglas começou a golpear ele. Foi tudo rápido. O vigia caiu desacordado e uns professores se meteram no meio dele e apartaram a briga”, disse uma aluna que viu a agressão.

Aluno agressor passou 6 vezes pela coordenação pedagógica

Aluno agressor passou 6 vezes pela coordenação pedagógica

O vigia é Edson Ruan, de 24 anos. Ele trabalha no CA há seis anos. Com a agressão, Edson teve oito pontos na cabeça e dois dentes quebrados. Ele ainda ficou machucado com os pontapés que recebeu quando já estava caído desacordado.  De acordo com professores e colegas de trabalho, ele é conhecido por seu temperamento calmo e sempre solícito.

“Nunca teve uma reclamação dele na escola. Já trabalhou à noite e recentemente estava no turno da manhã. Hoje ele está descansando em casa e deve fazer outra tomografia para avaliar os chutes que recebeu na cabeça”, disse um professor que preferiu não ser identificado.

O Colégio Amapaense tem pouco mais de mil alunos matriculados no ensino médio e que estudam nos turnos da manhã e tarde. De acordo com o diretor da escola, Haroldo Freitas, o aluno será transferido essa semana.

Aroldo Rabelo, diretor do CA: "

Haroldo Freitas, diretor do CA: “me sinto culpado pela violência que ele [estudante] cometeu”. Fotos: Cássia Lima

“A gente já pediu a transferência dele e devemos executar nos próximos dias. Foi uma atitude covarde de um aluno arrogante, desequilibrado e metido a machão. Douglas sempre teve passagens pela coordenação pedagógica, mas nunca tinha cometido um ato dessa gravidade”, contou o diretor.

Douglas está no segundo ano do ensino médio e estuda há dois anos no Colégio Amapaense. Nesse período, passou mais de seis vezes pela coordenação pedagógica. O diretor conta que no ano passado ele quase foi transferido por causa de uma discussão com um professor dentro da sala de aula.

“Eu me senti culpado, já que no ano passado eu pedi a transferência dele porque ele ‘peitou’ um professor. A mãe veio aqui, chorou e pediu pra ele ficar. Deixamos. Hoje me sinto culpado pela violência que ele cometeu”, frisou o diretor.

O site SELESNAFES.COM procurou os familiares do acusado para ouvir os motivos da agressão, mas não obtivemos respostas.

Compartilhamentos